livro, Parceria

Resenha: Cores de Outono – Keila Gon

Título: Cores de Outono – Descobrindo a magia

Autora: Keila Gon

Editora: Mundo Uno

Ano: 2017

Número de Páginas: 410

Olá Aventureiros! Para quem nos acompanha sabe que somos parceiros da MundoUno Editora e recebemos o primeiro livro cedido pela editora que foi Cores de Outono – Descobrindo a Magia da autora Keila Gon. Cores de Outono é o livro de estreia da autora e o primeiro livro da Trilogia Cores.

Melissa é uma jovem de vinte e um anos que acabou de perder a mãe e o pai de sua irmã Alice, de apenas 5 anos, em um acidente. Mesmo passando pela fase mais difícil de sua vida, Melissa precisa cuidar de sua irmã e sai de São Paulo para Campo Alto, uma cidade do interior cercada de floresta e montanhas, e onde cresceu ao lado de seu avô George.

Melissa é muito desastrada, tudo em seu caminho pode acabar se tornando perigoso, é uma menina educada, que ama sua família, inteligente e que não vai atrás das fofocas. Ela é o tipo de pessoa que só acredita vendo, pois não se deixa levar pelas opiniões alheias.

Vincent é um rapaz que mora na montanha, conhecido por ser misterioso, sério e arrogante, mas isso não o incomoda. Melissa é uma jovem que atraí o rapaz, e mesmo ela não sabendo, muda alguns comportamentos dele.

O relacionamento entre Vincent e Melissa vai crescendo e ficando forte a medida que vão se conhecendo, mas nem sempre eles se dão bem. Vincent é muito temperamental, fazendo com que Melissa perca a paciência.

A escrita da autora é muito leve e super gostosa. Já nas primeiras frases a autora me encantou e me puxou para a história. Devorei o livro em pouquíssimo tempo. A história é bem elaborada, sempre bem amarrada e explicada. Os personagens secundários são apaixonantes e um deles me despertou uma raiva! Só com isso vemos que são bem construídos!

Alice foi uma personagem que roubou meu coração! Mesmo muito pequena, ela está sempre observando sua irmã e se preocupando com ela. Achei linda a relação entre elas e o amor que as duas sentem uma pela outra.

O livro nos arranca suspiros do início ao fim, possui uma magia envolvente que não queremos mais largar Melissa, Vincent, Alice e George, que acabaram acordando e dormindo comigo.

Uma fantasia com romance na medida certa, um romance com fantasia na medida certa. Cores de Outono nos transporta para um mundo mágico com elfos, magos, seres mágicos que estão mais perto do que podemos imaginar. Recomendo a leitura desse livro de olhos fechados!

Keila Gon é paulistana e viver grande parte de sua infância em Minas Gerais. Filha de pais ventureiras, Keila desfrutou de amizades inesquecíveis e dividiu com a sua irmã mais velha o contato com a natureza, que sempre instigou sua imaginação. Amante dos livros de ficção e romance, Keila Gon é apaixonada pelo mundo da fantasia desde pequena.

Thaisa Napolitano

Anúncios
livro

O urso e o rouxinol

transferir

Autora: Katherine Arden

Editora: Fábrica 231

Ano:2017

Sinopse do SkoobO urso e o rouxinol mistura aventura, fantasia e mitologia ao acompanhar a jornada da jovem Vasya, criada, junto aos irmãos, num vilarejo próximo de uma floresta, e que cresceu ouvindo de sua ama contos e lendas sobre criaturas que vivem nas matas e que precisam receber oferendas para manter o mal adormecido em seu interior. Mas a chegada de Anna, madrasta de Vasya vinda da capital, de hábitos católicos, e de um padre ortodoxo que resolve instituir as práticas cristãs no vilarejo, provoca uma mudança na rotina da menina e abre as portas para uma terrível catástrofe. Sensível e determinada, Vasya é a única que consegue enxergar e conversar com esses seres fantásticos e torna-se a última esperança para salvar o povoado onde nasceu da destruição.

Ganhei esse livro no natal do ano passado e andava louca para lê-lo, só que me enrolei com alguns outros títulos que estavam na fila de espera. Felizmente, porém, transgredi a ordem dos livros que eu precisava ler e devorei a história da sra Arden.

Não sei se todos conhecem, mas existe um conto de fadas russo chamado “A Vasilissa” que imagino ter inspirado a autora. Na versão que conheço, a heroína se vestia de homem, cavalgava como homem e era firme e rebelde, já nas versões que achei no google ela era uma lady de tão meiga.

IMG_20180402_082154778-2.jpg

O caso é que as duas versões, apesar de opostas são compatíveis com momentos diferentes da narrativa. A Vasilissa meiga que vence a bruxa Baba Yaga  é levada ao rei que se apaixona por ela, como aconteceu com a avó da protagonista de O urso e o rouxinol, já a Vasilissa rebelde que faz coisas “masculinas” é a propria Vasya  (apelido russo para Vasilissa) do livro.

Achei a história maravilhosa. Sou grande fã de contos de fadas e essa adaptação do tradicional conto russo foi muito bem pensada. Retrata muito bem o período medieval (a autora pesquisou direito a História do país de modo que você aprende muito)* e seus costumes de vassalagem e também o relacionamento complicado que a igreja católica mantinha com seus fiéis.

Aliás, acredito poder dizer que se trata da expansão do cristianismo na Rússia (que ainda não tinha esse nome, pois não era um país independente, os príncipes de lá eram vassalos do Khan mongol), porque o conflito da história é o poder mágico/folclore local contra a fé cristã, que demonizava as criaturas mitológicas.

Por último, o livro dá um show de girl power, que vai agradar muito as meninas (final excelente!).

Até mais, Aleska Lemos.

*Quer dizer, na escola e até mesmo durante a faculdade, tenho a impressão de que a Rússia nasce para a História mundial após a Revolução de 1917. Antes disso apenas aparece para derrotar Napoleão.

livro

Quotes: Quatro Vidas de Um Cachorro – Bruce W. Cameron

Olá Aventureiros! Hoje vim compartilhar com vocês trechos do livro Quatro Vidas de Um Cachorro que me marcaram bastante e que achei que me fizeram compreender as ações de um cachorro. Para quem quer ler a resenha do livro é só clicar aqui. Dividi os quotes pelas vidas que o cão tem, para facilitar a compreensão.

Quotes:

Primeira vida:

  • “O mundo, pensei comigo mesmo, era muito mais complexo do que eu havia suposto, Não se tratava apenas de mamãe e meus irmãos se escondendo das pessoas, caçando e brincando na manilha. Acontecimentos maiores tinham o condão de mudar tudo – acontecimentos controlados por seres humanos.”
  • “De todas as coisas que fiz na vida, provocar seu riso me pareceu a mais importante, a única coisa, concluí, que dava sentido à minha vida.”

Segunda vida:

  • “Por que eu voltara a ser um filhote? Por que essa sensação insistente de que, como cachorro, havia alguma coisa que eu precisava fazer?”
    • “Acho que jamais me dei o trabalho de imaginar que pudessem existir meninos, mas agora que encontrara um, achei que esse era, simplesmente, o conceito mais maravilhoso do mundo.”
    • “O menino amava a mim. Cada um de nós era o centro do mundo do outro.”

    Terceira vida:

    • “Ethan vinha para a garagem, então, e entrava comigo na casa de cachorro, pondo os braços à minha volta. Eu ficava ali, imóvel durante o tempo que ele desejasse. Esse era, concluí, meu propósito como cachorro, consolar o menino sempre que houvesse necessidade.”
    • “Eu o lambi da forma mais confortadora que conhecia – estávamos juntos, como podia haver algo de errado?”

    Quarta vida:

    • “Eu me sentira tão completo que simplesmente não havia motivo para seguir em frente – como seria possível que me coubesse uma missão mais importante do que amar o menino?”
    • “Havia, porém, uma diferença entre obedecer a comandos e ter um propósito, uma razão para existir. Achei que meu propósito era ficar com Ethan e que já havia cumprido tal propósito, estar a seu lado enquanto ele crescia. Se era esse o caso, por que eu tinha virado Ellie agora? Seria possível que um cachorro tivesse mais de um propósito?”
    • “… mas naquele momento o que eu mais sentia era paz, além da certeza de que ao viver minha vida do jeito que vivera, tudo havia se encaminhado para esse momento. Meu propósito tinha sido cumprido.”

    Espero que tenham gostado do post! Quem não leu o livro ainda e se interessou, leia, é uma leitura encantadora!

    Beijos,

    Thaisa Napolitano

    livro

    A Princesa salva a si mesma neste livro.

    Autora: Amanda Lovelace

    Editora:Leya

    Ano: 2017

    Resumo do skoob: Amor e empoderamento em versos que levam os contos de fada à realidade feminina do século XXI A princesa salva a si mesma neste livro, de Amanda Lovelace, é comparado ao fenômeno editorial Outros jeitos de usar a boca, de Rupi Kaur, com o qual compartilha a linguagem direta, em forma de poesia, e a temática contemporânea. É um livro sobre resiliência e, sobretudo, sobre a possibilidade de escrevermos nossos próprios finais felizes. Não à toa A princesa salva a si mesma neste livro ganhou o prêmio Goodreads Choice Award, de melhor leitura do ano, escolha do público. Esta é uma obra sobre amor, perda, sofrimento, redenção, empoderamento e inspiração. Dividido em quatro partes (“A princesa”, “A donzela”, “A rainha” e “Você”), o livro combina o imaginário dos contos de fada à realidade feminina do século XXI com delicadeza, emoção e contundência. Amanda, aclamada como uma das principais vozes de sua geração, constrói uma narrativa poética de tons íntimos e cotidianos que acolhe o leitor a cada verso, tornando-o cúmplice e participante do que está sendo dito.

    Comprei esse livro por causa do título. Nem olhei o resumo nem nada, só pelo nome já sabia que eu deveria comprar, mas não foi nada do que eu esperava. O título mais a ilustração da capa me levaram a crer que era um conto de fadas ás avessas, mas na verdade era uma história real.

    A autora conta sua trajetória de vida em poemas, da infância problematica, época em que queria ser uma princesa, passando pela adolescência, onde era uma donzela indefesa sobrevivendo aos desamores, à vida adulta, época em que encontra o verdadeiro amor e encontra seu poder e amor próprio.

    Na verdade é um livro sobre dores. Luto, abusos psicológicos, brigas com a mãe, traição de amigos, busca do amor e de si mesma e da liberdade. Todos os ingredientes da vida moderna de qualquer mulher hoje em dia.

    Eu gostei do livro. Os temas tinham conexão com as minhas experiências de vida (bom nem todos, mas muitos deles), foi bem rapidinho de ler, pois os poemas são de linguagem simples, embora impactantes. Dá vontade de ir perguntar pessoalmente como a autora conseguiu passar por aquilo tudo.

    No fundo, porém, sabemos que passamos pelos mesmos percalsos na vida: deixar de ser princesa (e de querer ser isso), para se tornar completa e soberana de si. Ah se pudessemos voltar ao passado e contar tudo o que aprendemos para nossos eus jovens!(estou me sentindo a dinossaura agora) .

    Bom fica a dica para quem gosta de poemas feministas ou que precise problematizar o assunto por algum outro motivo.

    Grande abraço, Aleska lemos.

    livro

    Resenha: Louis e Noémie – Um (a)caso do amor em Paris – Giulia Mancini

    louis e noemie

     

     

    Título: Louis e Noémie – Um (a)caso de amor em Paris

    Autora: Giulia Mancini

    Editora: Produção Independente

    Ano: 2014

    Número de Páginas: 97

     

     

     

    “Em um mundo perfeito, as sombras de amor são felizes.”

    “Louis e Noemi – Um (a)caso de amor em Paris”, é um conto de amor da autora carioca Giulia Mancini. Nesse conto conhecemos Louis e Noémie, que estavam em Paris, na ponte mais famosa eternizando o seu amor. Louis eternizando o seu amor através de um cadeado com Blanche, e Noémie eternizando o seu amor com Gael. Mas, Noémie e Louis acabam trocando olhares, ele se encantou pelo sorriso dela, e ela gostou do olhar dele. Não preciso dizer que a conexão entre eles foi imediata, não é? Com uma mãozinha do destino, eles acabam se falando e vão tomar um café juntos.

    Seis anos depois, Louis estava na mesma ponte quando repara em uma mulher e se dá conta de que é a Noémie. A situação de agora é totalmente diferente. Louis carrega o peso de uma tristeza no olhar e Noémie não está com o sorriso encantador de antes. Ao se reencontrarem, os personagens se questionam o que aconteceu para que cada um tenha mudado, qual a angústia os atormentam e se devem se permitir alimentar essa  ligação que possuem um pelo outro.

    O nosso encontro não era só mais uma casualidade, era destino. Dois estranhos que voltam ao mesmo lugar onde se conheceram anos atrás, dois estranhos não tão estranhos assim.”

    O conto é bem curtinho, delicioso de ler e nos prende por sua narrativa. O livro não conta a história clichê de um casal apaixonado em Paris, a autora nos conta a história de dois casais e como o destino mudou os planos de cada um, com um certo momento que faz o nosso coração partir. Gostaria que o conto fosse um pouco maior, que se aprofundasse mais na história do casal.

    O E-book está disponível na Amazon e está gratuito!

    Recomendo a leitura desse conto para aquele dia em que queremos só relaxar e ler algo leve e encantador.

    Thaisa Napolitano

    livro, Quotes

    Quotes: Sorrisos Quebrados – Sofia Silva

    22199012_10214148845340588_1985839266_o

    Sorrisos Quebrados, da autora portuguesa Sofia Silva, foi uma das leituras que realizei ano passado e que eu amei. Um livro que conta uma história sobre dores reais, traumas que deixam cicatrizes, com uma protagonista forte que deixa as cores pintarem a sua vida novamente. Para você que não leu a resenha do livro, é só clicar aqui.

    Quotes:

    • ” Às vezes, precisamos olhar para as pessoas com o coração e não com os olhos, pois só assim nós vemos quem realmente são.”
    • “Nossas expressões podem não ser verdadeiras. Um sorriso pode esconder tristeza ou falsidade. Podemos aparentar apatia, quando, por dentro, estamos vivendo todos os sentimentos com intensidade, ou fingir tristeza quando é mentira.”
    • “Quem machuca é a pessoa que amamos. Quem nos faz sofrer é a pessoa que deveria nos proteger e fazer felizes. Que, no amor, as lágrimas deveriam ser sempre de felicidade.”
    • “Eu acredito que sou um quadro abandonado por alguém que nunca desejou ser pintor. Alguém me pegou quando eu era uma tela branca e, em vez de me pintar com a suavidade dos pincéis, me feriu com o lado pontiagudo. Perfurou vezes sem conta até eu ter um buraco grande em vez de uma obra de arte.”
    • “Intimidade é quando o casal não precisa falar, porque o outro consegue ler os lábios que não se movem, escutar a alma que grita e ver o amor invisível.”
    • “Com ele percebi que é na escuridão que brilha o amor verdadeiro, que as palavras verdadeiras reluzem, e sei que as dele nunca perderão a intensidade.”

    Sorrisos Quebrados foi um dos 10 melhores livros que li no ano de 2018. Os personagens são fortes, apesar de serem sofridos também. Sofia Silva aborda um tema muito importante que é a violência doméstica e nos mostra o poder que as cicatrizes internas possuem, e que apesar da escuridão querer dominar a nossa vida, sempre possuímos força o suficiente para deixarmos as estrelas nos guiarem e as cores colorir nossa vida. Sorrisos Quebrados é o primeiro livro da série Quebrados que conta histórias sobre violência doméstica, abuso sexual e deficiência física.

    Beijos,

    Thaisa Napolitano

    livro

    Belle Époque

    BELLE_EPOQUE_1395686966B

    Autora: Elizabeth Ross

    Editora: Verus

    Ano:2014

    Resumo do SkoobNa Paris da Belle Époque, tudo está à venda — inclusive a beleza. Quando Maude Pichon foge de casa, na provinciana Bretanha, e vai para Paris, seus sonhos românticos evaporam tão rápido quanto suas economias. Desesperada para arrumar um emprego, ela responde a um estranho anúncio de jornal — a Agência Durandeau está em busca de jovens pouco atraentes a fim de fornecer a suas clientes um serviço singular: uma moça sem graça contratada para acompanhar as damas da sociedade e fazê-las parecer mais belas.
    A condessa Dubern precisa de uma acompanhante para Isabelle, sua voluntariosa filha, e Maude é considerada o adorno perfeito para tornar a moça mais bonita. Isabelle nem desconfia de que sua nova “amiga” foi contratada pela mãe, e a mera presença de Maude entre a aristocracia depende de que consiga guardar esse segredo. No entanto, quanto mais ela conhece e se afeiçoa a Isabelle — uma jovem determinada a desafiar as expectativas da sociedade e a estudar ciências na universidade —, mais sua lealdade é posta à prova. E, enquanto a farsa persistir, Maude terá muito a perder.
    Belle Époque se passa no auge da boemia parisiense, quando a cidade efervescia, homens e mulheres estavam no ápice da elegância e a moral estava em franca decadência.

    Li esse livro já há bastante tempo, mas me identifiquei muito com a história e com a personagem principal. Não é um grande livro, na verdade, mas gostei muito da jornada da Maude, das coisas que ela aprendeu na capital francesa, dos seus sonhos e da sua auto descoberta.

    Confesso que com a pindaíba que ela estava no início do livro, temi que ela se tornasse uma prostituta, mas no lugar disso, arrumou um ofício um pouco menos humilhante para uma jovem donzela inocente: ser a acompanhante feia/ sem graça que tornaria sua patroa mais atraente na sociedade.

    28580636_1685793104849068_1191263851_o
    Madame Bovary posando para a foto ao lado de Maude.

     

    É visível como aquele trabalho afetava o autoestima de Maude. Tinha um cara que era o “arroz” dela na história, mas por se achar feia não acreditava nos sentimentos do rapaz, mesmo tendo os dois passado vários momentos bacanas juntos. O jovem artista ensina muitas coisa para a moça e ele descobre seu amor pela fotografia.

    Em muitos sentidos, esse é um livro feminista e chega a lembrar aquela novela lado a lado, só que ao invés de tratar de uma mulher negra e de uma branca trata de uma pobre e uma rica, ambas presas pelas regras sociais e pelo machismo a um mundo que não lhes traz felicidade. A amizade entre elas, porém, vai mudar o destino de ambas e a sociedade terá muito o que temer com o fim de alguns costumes.

    A última coisa que tenho a dizer em favor desse livro, é que eu não sou chegada num romance, então se eu li, é porque ele tem algo muito bom para passar.

    Um grande abraço!

    Aleska Lemos.

    livro

    Resenha: Quatro Vidas de um Cachorro – W. Bruce Cameron

    Título: Quatro Vidas de Um Cachorro

    Autor: Bruce W. Cameron

    Editora: Haper Collins

    Ano: 2016

    Número de Páginas: 288

    O mundo, pensei comigo mesmo, era muito mais complexo do que eu havia suposto. (…) Acontecimentos maiores tinham o condão de mudar tudo – acontecimentos controlados por seres humanos.”

    O livro de Bruce Cameron, Quatros Vidas de um Cachorro, conta a história de um cão que renasce várias vezes. Um cão que acredita que há um propósito para sua vida e até descobrir qual é esse propósito, irá renascer diversas vezes.

    Uma história encantadora e bem leve com um belo diferencial, o livro não conta uma história sobre seus donos e seu cão, sobre suas atrapalhadas e aventuras. Nesse livro, quem conta a história é o próprio cão, o que torna a leitura bem divertida e dinâmica. Entramos no mundo canino e vemos suas percepções, sua compreensão de mundo, o que gostam e o que não gostam. O protagonista deixa bem claro seus pensamentos e como o cachorro gosta de brincar, pegar gravetos e receber amor. Quem nunca se perguntou o que o seu cão deve estar pensando?

    Quatro vidas completamente diferentes, donos amáveis e outros nem tanto. Nomes diferentes no qual o nosso “cãotagonista” mostra se adaptar rapidamente a eles e ao novo estilo de vida, que acha que o mundo gira ao redor dele mas nunca deixa de pensar em ser leal ao seu dono e estar perto dele sempre que puder.

    O autor nos aproxima mais do mundo animal, o nosso cão se depara com cavalo, patos, gatos e até com um gambá, e já adianto, um encontro hilário! Essa é uma história encantadora, o autor trouxe uma leveza para a narrativa descrevendo com simplicidade os cenários em volta, nos orientando sempre com os cheiros que os cães sentem.

    Como devem saber, o livro foi adaptado para o cinema. Vi o filme antes de ler o livro, algo que não costumo fazer, apesar de ter amado o filme, o livro me encantou muito mais, é claro! Infelizmente alguns detalhes que acontecem no livro foram cortados e/ou alterados na ordem que acontecem no livro, o que me deixou bastante chateada. Mas é apenas uma adaptação que mesmo assim passa a mensagem que o livro emprega: Por que estamos aqui?

    De todas as coisas que fiz na vida, provocar seu riso me pareceu a mais importante, a única coisa, concluí, que dava sentido à minha vida.”

    Recomendo a leitura de Quatro Vidas de Um Cachorro, um ótimo livro para quem ama ler e até para quem não tem o hábito de ler diariamente, pois é uma leitura bem fluída e divertida. É aquele tipo de história que te prende, te encanta e não percebemos o tempo passar.

    Thaisa Napolitano

    livro

    Calvin e Haroldo- tiras de domingo 1985-1995

    28555061_1685787634849615_813052215_oAutor: Bill Waterson

    Editora: Conrad

    Ano: 2014

    Este livro na verdade é um catálogo de exposição que reúne as tirinhas de Calvin e Haroldo que saíram aos domingos entre os anos de 85 e 95. Há os originais em preto e branco e ao lado versões coloridas das tirinhas com pequenas observações do autor.

    Como vocês devem lembrar, eu já disse aqui que acho interessante saber sobre arte (veja meu post sobre as Cartas de Van Gogh) e sobre como os artistas interpretam as cores e para quem gosta disso o livro é um prato cheio. Bill brinca com as cores e com a perspectiva e dá vários significados às suas tiras. É um trabalho muito rico. Minha tira favorita é a que ele brinca com o cubismo:

    545558_383779765018980_15767563_n.jpg

    O meu personagem favorito é o Haroldo (tenho até uma almofada dele em quem já dei muitos abraços nesta vida), porque ele me parece mais sensato que Calvin e é responsável pelas coisas mais fofas da história. Enquanto o menino odeia as meninas, quer ter sempre a última palavra e por banca de questionador, o tigre lhe lembra que sua mãe é uma menina e dá umas respostas tão sensatas ao “brilhantismo” de Calvin que deixam o personagem (e nós que estamos lendo) constrangidos e embasbacados.

    É claro que  o menino também cativa ao trazer coisas da nossa infância à tona, como o preconceito contra verduras, aquela imaginação mirabolante que nos fazia viajar por outros mundos (ou planetas no caso de Calvin ou melhor do capitão Sniff), do amor dos nossos pais que faziam de tudo pra gente não chorar (tipo ir no mato a noite atrás de um certo tigre de pelúcia) e das coisas que aprontávamos com eles na melhor das intenções…

    Gostei desse livro, mas acho que precisava ler outros da coleção para gostar mais dos dois. Acho que a Mafalda ainda é minha tira preferida, mas tenho a impressão de que no livro que comprei dela dava para entender melhor as personalidades de cada personagem. De repente por ter mais tirinhas que esse ficou mais evidente.

    Bom, isso é tudo por hoje pessoal!

    Grande abraço, Aleska Lemos.

    28504170_1685787824849596_1377751111_o

    livro, Quotes

    Quotes: Suzi e as Águas-Vivas – Ali Benjamin

    22546964_10214255250320646_1656192857_o

    Olá Aventureiros! Quem acompanha o blog sabe que uma das leituras que amei ano passado foi o livro Suzy e as Àguas-Vivas. Para mim esse livro foi um imenso quote. Uma história que me marcou e uma protagonista que me fez refletir apesar de sua pouca idade.

    Para quem não sabe, o livro conta a história de Suzy Swanson  de apenas 12 anos, que acabou de perder a sua ex-melhor amiga. Abalada com a notícia, Suzy não aceita quando a sua mãe diz que as coisas “simplesmente acontecem” e procura meios que justifiquem a morte de sua amiga. Para ler a resenha completa clique aqui.

    Quotes:

    • “E, durante todo o tempo, seu coração só continua batendo. Ele faz o que precisa fazer, uma batida após a outra, até receber a mensagem de que é hora de parar, o que poderia acontecer daqui a poucos minutos sem que você sequer tenha ideia disso.”
    • “A história de cada pessoa é diferente, o tempo todo. Ninguém está com ninguém de verdade, mesmo que às vezes pareça estar.”
    • “A questão é que temos muito poucas chances de consertar algo, de fazer as coisas ficarem certas. Quando uma dessas oportunidades aparece, não se pode ficar pensando demais. É preciso segurá-la e agarrar-se a ela com toda a força…”
    • “Não existem palavras mágicas. Não há uma única maneira certa de dizer adeus a alguém que você ama. O mais importante é que você mantenha alguma parte dela dentro de você.”
    • “O silêncio pode dizer mais que o barulho, da mesma maneira que a ausência de uma pessoa pode ocupar ainda mais espaço do que sua presença ocupava.”
    • “Os seres humanos podem ser os mais novos habitantes deste planeta. Nós podemos ser muito frágeis. Mas também somos os únicos que podem decidir mudar.”
    • “Se as pessoas ficassem em silêncio, poderiam ouvir melhor o barulho de sua própria vida.”
    • “Às vezes, quando nos sentimos mais solitários, o mundo decide se abrir de formas mágicas.”

    Espero que tenham gostado dos quotes que separei e para aqueles que não leram ainda, recomendo a leitura.

    Beijos,

    Thaisa Napolitano