livro

Resenha: O Ódio que Você Semeia – Angie Thomas

22790895_10214330113992191_683364155_o

Título: O Ódio que Você Semeia

Autora: Angie Thomas

Editora: Galera Record

Ano: 2017

Número de Páginas: 378

O Ódio que Você Semeia da autora Angie Thomas é um romance que nos faz questionar se a justiça é cega, que nos faz refletir sobre os problemas, preconceitos que negros sofrem no dia a dia, uma história que nos faz refletir sobre realidades que podem ou não ser nossas.

Starr é uma adolescente de 16 anos que vive em dois mundos. Ela mora num bairro pobre considerado perigoso, e estuda em uma escola particular, onde a maioria dos alunos são brancos. Starr vive em duas realidades que se chocam diariamente, que a fazem se transformar em duas Starrs: A Starr de Garden Heights e a Starr da escola Williamson.

Uma adolescente comum, estudiosa, que vai a festas, possui amigos e que ajuda seu pai trabalhando no mercado da família. Quando tudo parece estar em harmonia, Starr acaba presenciando a morte de seu melhor amigo, seu grande amigo Khalil, com quem cresceu junto. Além do trauma de ver uma pessoa sendo morta, Starr é a única testemunha e logo o caso toma espaço na mídia.

Para Starr, Khalil era seu melhor amigo, que sempre se preocupou com a sua mãe, mas para a mídia, Khalil era um traficante, negro, um bandido desarmado. Julgamentos bombardeiam Khalil, medo bombardeia Starr. Khalil foi morto por um policial, e quando descobrem sobre a testemunha, Starr e sua família sofrem ameaças vindo de vários lados. Ameaças de chefões do tráfico de seu bairro e ameaças de policiais. Todos querem saber a verdade e cabe a Starr dizer o que sabe, dizer o que viu. Mas não é tão simples assim, o que ela disser pode acabar indo contra a sua família, contra seu bairro, e contra aqueles que confiam em Starr, não apenas para fazer justiça à Khalil, mas para mudar a realidade de casos de negros que foram assassinados e que não tiveram justiça e foram esquecidos.

Starr é uma protagonista que cresce ao longo da narrativa. Apesar de traumas passados e com o mais novo trauma, Starr é forte e corajosa para enfrentar depoimentos, tribunais e julgamentos da sociedade. A narrativa está em primeira pessoa, sabemos o que se passa na cabeça da protagonista. Os personagens secundários são bem construídos, nos deixando a par do ambiente e clima que cada personagem nos transmite. Personagens com dramas reais, que vão além de morar em um bairro pobre, que passam por questões de superações, tráfico de drogas, vício em drogas e até violência doméstica.

Indico a todos esse livro. Uma leitura muito fluida, que quando vemos já devoramos facilmente 50 páginas. O que me incomodou um pouco no começo foi o tamanho dos capítulos, achei um pouco longo, mas quando a leitura engata, esquecemos desse detalhe. Como disse no início da resenha, é um livro que nos faz refletir realidades que nem sempre estão em nosso alcance, às vezes são realidades que vemos pela televisão, que podem acabar sendo deturpadas.

O Ódio que Você Semeia será adaptado pela Fox para as telonas e já tem o elenco confirmado. E chegou em primeiro lugar na lista do New York Times na semana em que foi lançado.

Starr me levou para conhecer a sua realidade e me mostrou que “às vezes, as coisas dão errado, mas o importante é continuar fazendo o certo”.

Thaisa Napolitano

Anúncios
livro

Resenha: Novembro, 9 – Colleen Hoover

22199067_10214138814409821_2116150568_o

Título: Novembro, 9

Ano: 2017 – 3ª Edição

Editora: Galera Record

Autor: Colleen Hoover

Número de Páginas: 352

Olá Aventureiros! Hoje venho falar sobre o livro Novembro, 9 da Colleen Hoover. Para quem acompanha o blog sabe que o meu primeiro contato com a autora foi com o livro Confesse, que li em agosto, para ler a resenha clique aqui. E assim como Confesse, Novembro, 9 aborda assuntos delicados que me deixaram bem tensa em alguns momentos.

O livro conta a história de Fallon, uma jovem que está prestes a se mudar para Nova York. Em seu último dia em Los Angeles, Fallon conhece Ben de uma maneira bem inusitada, rolando uma química instantânea que fazem com que passem o dia juntos.

Fallon tem apenas 18 anos, mas já passou por muitas coisas em sua curta vida. Sobrevivente de um incêndio que a deixou desfigurada, Fallon perdeu seu trabalho e viu sua carreira de atriz desmoronar por conta das cicatrizes. Dia 9 de novembro é o dia de aniversário desse episódio, e nesse dia, num almoço com seu pai, com quem tem uma relação perturbada, conhece Ben, um aspirante a escritor.

Amar alguém não inclui só a pessoa… Amar alguém significa aceitar todas as coisas e pessoas que esse alguém também ama.”

Ben, é um jovem que quer ser escritor, atraído por Fallon e ela por ele, passam o dia juntos e acabam conhecendo um pouco um do outro. Diferente da maioria dos garotos, Ben acha Fallon muito bonita, que acaba se tornando a sua musa inspiradora para seu livro. Impedidos de viver um grande amor, Fallon e Ben, fazem a promessa de se encontrarem todo dia 9 de Novembro, no mesmo lugar em que se conheceram e na mesma hora.

Ben faz Fallon se sentir muito bem, sempre encorajando o que ela tem melhor. Ao longo da narrativa, podemos ver o desenvolvimento e crescimento de Fallon, o aumento de sua auto estima e sua busca por realizar seus sonhos. Cumprindo a promessa que cada um fez, eles se encontram nos dias 9 de novembro, sem ter contato algum durante o ano.

E toda vez que se olhar no espelho, não tem o direito de odiar o que vê. Porque você sobreviveu enquanto muita gente não teve tanta sorte.”

22197429_10214138823170040_1746374529_o

Quando tudo parece estar ao favor do jovem casal, quando eles acreditam que podem ficar juntos, Fallon descobre coisas que a fazem acreditar que ela é apenas um personagem do livro de Ben e questiona quem é o cara que ela está apaixonada. Foi nesse clímax que fiquei tensa. Muitos segredos são revelados, muita coisa que pareciam não fazer ligação, começam a se encaixar.

Acho que estive julgando mal todo o conceito de amor instantâneo. Eu queria muito saber como podemos terminar esses próximos anos com um final feliz.”

A autora, com sua maestria aborda assuntos delicados, como relações entre pais e filhos, câncer, suicídio, morte precoce, perdão e cicatrizes não visíveis em sobreviventes de incêndios. A narrativa é muita fluida e a história se passa sempre no dia 9 de novembro, nos encontros dos personagens, confesso que senti falta de saber como era o ano dos personagens, antes de cada encontro anual, o que acontecia com eles, e gostei muito de ler que mesmo destruídos, o dia 9 de novembro era um renascimento para os dois, e não apenas para Fallon. A amizade entre eles é muito bonita e comovente. O sentimento amor é abordado de maneiras diversas, nos emocionando e nos chocando.

Porque quando você ama uma pessoa, tem o dever de ajudá-la a ser melhor versão de si mesma.”

Gostei do livro, não foi o melhor que li esse ano e entre os dois da autora que li, gostei mais do Confesse. Não me senti muito confortável com o desfecho da história, achei que alguns acontecimentos pareciam irreais demais. O livro mostra ao leitor como o amor não é perfeito, que perdão e amor andam lado a lado. Para quem for ler esse livro, recomendo que leia acompanhado de um lenço, porque lágrimas são garantidas nessa leitura.

Thaisa Napolitano

livro

Livro: Treze

22047635_10214090259235972_1393824709_o

Título: Treze- O Azar pode ser a sua ruína: A sorte também.

Autora: FML Pepper

Editora: Galera Record

Ano:2017

Rebeca é filha de uma ladra turca com um policial brasileiro.  Após a morte do pai, passa a aplicar golpes com a mãe para sobreviver e vira uma super hacker. Ela tem uma grande amiga chamada Suzy que é tipo o anjinho bom no seu ombro direito (e que é pouco ouvido).

Um dia o destino  dá uma rasteira na garota e ela é obrigada a dar assistência à polícia para investigação de crimes cibernéticos e a ir para uma faculdade (coisa que ela nunca imaginou que um dia fosse fazer). Lá ela conhece Karl um ex lutador de MMA e Eric Dragon, dando início a um triângulo amoroso.

Bem, foi meu primeiro livro da FML Pepper e achei bastante promissor. Rebeca, a heroína é bastante interessante e não faz muito o tipo “donzela indefesa”. É um pouco doidivanas, mas muito cativante. Karl não me convenceu nas primeiras páginas, mas depois ele cresceu alguns pontinhos comigo e consegue exercer bem sua função. Já o Eric é perfeito demais e meio sem sal tadinho. Achei meio improvável de ser o herói da história.

Sobre a trama, bem, a princípio achei que seria um suspense muito maneiro, fiquei esperando para ver os casos que a Rebeca iria solucionar e tal, mas Pepper fez a curva e o tornou um romance com triângulo amoroso. Fiquei um pouco decepcionada, principalmente porque teve uma parte da história que pareceu muito com filmes tradicionais de comédia romântica como: “Qual é o seu número” e “Muito bem acompanhada” (com a Debra Messing), porém, devo ressaltar que o desgosto por triângulos  desse calibre é uma coisa pessoal minha. Uma ligeira implicância. Se você leitor não tem problemas com isso, ouso dizer que vai gostar bastante (acho que o final da história voltou a puxar para o suspense e eu gostei de ter lido).

22068860_10214090249075718_291425617_o

De modo geral, acho que minha única crítica foi a quebra da expectativa. Tem coisas muito boas em Treze  como quando Pepper fez uma boa discussão sobre ter fé e saber amar.É possível enxergar que fez um bom planejamento textual, que tem um bom argumento (quando contei a sinopse para meu irmão ele achou muito interessante apesar de não ser fã de romances),  e personagens bem construídos e complexos. Gostei também do fato dela nos fazer viajar por lugares do Brasil pouco explorados na literatura (foi um dos primeiros livros que li ambientado na cidade de Niterói).

Se precisasse fazer uma comparação, acho que diria que gosto mais do estilo da Pepper do que o da Carina Rissi, apesar de ter adorado o “Perdida”. Espero ter convencido vocês a ler esse livro porque vamos sorteá-lo.

Grande abraço!

Aleska Lemos.

 

 

 

 

 

 

 

 

livro

Resenha: Confesse – Colleen Hoover

21267408_10213867504867252_1219058058_o

Título: Confesse

Ano: 2017

Editora: Galera Record

Autor: Colleen Hoover

Número de Páginas: 328

Assim como o título vou começar confessando algumas coisas… Confesse foi o primeiro livro que li da Colleen Hoover. Ouvi falar muito bem de sua escrita e a cada elogio, a curiosidade de conhece-la foi aumentando. Segunda confissão, chorei com o prólogo desse livro, maravilhoso, intenso e nos faz imaginar se o que vamos ler em diante é tão sofrido assim…

Nos primeiros capítulos me senti um pouco perdida, confesso, porque deixei de esperar um romance e fiquei tensa com tanto mistério, isso ocorreu porque Owen e Auburn possuem segredos que são revelados ao longo da narrativa.

Auburn Reed é uma jovem que perdeu tudo o que era importante em sua vida e assim vai reconstruindo a sua vida sem se permitir cometer erros. Morando em Dallas, ela precisa de um outro emprego para que consiga pagar os honorários de um advogado e nessa busca para em frente a uma galeria de artes e começa a ler confissões que estão pregadas nas paredes. Owen, um jovem pintor, acaba abrindo a porta de seu atelier e com uma conversa confusa, ele a contrata para trabalhar.

Há pessoas que você encontra e, depois, passa a conhecer melhor, e há pessoas que você encontra e já conhece bem,”

Surgindo uma forte atração entre eles, segredos são colocados a mesa e cada vez mais que eles vão se aproximando, se gostando mais e mais, outras complicações vão aparecendo. O que eu não esperava era que Owen, o pintor que se inspira com confissões de pessoas para pintar seus quadros, também tem confissões que envolvem Auburn. E Owen, é um acerto ou um erro que Auburn pode ou não cometer?

Mesmo se ele mudasse completamente de vida, suas escolhas do passado ainda afetariam a minha.”

A trama é amarrada em segredos, o que prende o leitor até o fim. A escrita é fluida e os capítulos alternam entre Auburn e Owen, nos deixando a par de cada sentimento e pensamento das personagens. Para mim o livro foi tenso do início ao fim, mesmo tendo ficado presa na história desde a primeira página, comecei a curtir a leitura e sentir que estava lendo um romance após alguns segredos serem revelados.

As personagens de Confesse, não chegam prontos para nós no início do livro, vamos conhecendo aos poucos suas caraterísticas, costumes e personalidade. Owen, é um jovem muito doce, corajoso, que mesmo tendo vivido puxões de tapetes da vida, não deixou de querer viver e fazer o bem para os outros. Auburn, é uma guerreira, uma jovem muito forte, conseguimos perceber isso já no início do livro, mesmo a vida não estando fácil para ela, desistir não é uma opção, mas ela vai se tornando menos passiva ao longo da narrativa. Os personagens secundários, eu gostei bastante, bom, na verdade eu os odiei, nunca tinha sentido tanta raiva de personagens, por isso os achei bons, bem estruturados.

Apesar desse livro ter matado um pouco da minha curiosidade em conhecer a autora, Confesse, despertou ainda mais o interesse de ler outros livros da autora. Colleen Hoover consegue nos dar uma história real, cheia de mistérios, emoção e tratando de temas importantes com muita habilidade. No livro contém confissões reais, e a cada vez que lia uma, meu coração se apertava, eu me chocava… No final do livro há imagens que são quadros do pintor Danny O’Connor, que representam as obras do Owen que são citadas no livro. Gostei muito do livro, me apaixonei pela Auburn, principalmente pela Colleen Hoover, se indico a leitura? Confesso que sim! Tem muita coisa para viver nesse livro, muitos acertos e erros e claro, muitas confissões!

Thaisa Napolitano