livro

BIBLIOTECA DE ALMAS, DE RANSOM RIGGS

BIBLIOTECA_DE_ALMAS_1468528736596982SK1468528736B

RESENHA: BIBLIOTECA DE ALMAS, DE RANSOM RIGGS

Editora: Intrínseca

351 páginas (na edição sem a capa dura) – Tradução de Fernando Carvalho

“Os limites da terra, as profundezas do mar, a escuridão do tempo, você escolheu todos eles”.

(E.M. Forster – citação que abre o livro)

Biblioteca de Almas, que termina a história de Jacob após a descoberta dos peculiares, é o terceiro volume da trilogia Lar da Senhorita Peregrine para Crianças Peculiares.

Assim como nos livros anteriores as fotografias são a atração à parte. Nas primeiras páginas, temos um glossário de termos peculiares que ajudam a relembrar conceitos necessários para aproveitar melhor a leitura da história que se seguirá.

A narrativa continua a partir do exato momento em que o segundo livro parou, e a tensão também continua… Juntamente com Emma e o cão Addison, um animal peculiar que fala e tem um faro especial para localizar peculiares, Jacob precisa resgatar o restante de seus amigos e a Srta Peregrine, sequestrados por acólitos. Além das crianças que viviam no lar em Cairnholm, peculiares do mundo inteiro e de praticamente todas as fendas foram sequestrados juntamente com as suas ymbrynes e levados para uma fenda conhecida como Recanto do Demônio, local que abriga todo tipo de perversões e vícios. Saindo da Londres contemporânea, o trio consegue encontrar uma fenda e a Sharon, que os ajudará a encontrar a temida fenda.

A narrativa continua com perigos e desafios a cada página, com o trio Jacob, Emma e Addison sendo testado até seus limites físicos o tempo todo.

library-of-souls-photos

Nesta jornada final, novos personagens peculiares auxiliam Jacob e seus amigos a realizar a missão mais perigosa de todas desde que o garoto descobriu o mundo peculiar. Jacob percebe que sua habilidade recém-descoberta é maior e mais poderosa que imagina. E que dela dependerá grande parte do plano para resgatar todos os peculiares mantidos em cativeiro, que precisarão unir forças como nunca para pôr fim ao flagelo infligido pelos acólitos e etéreos. Nesta jornada também podemos ver o amadurecimento de alguns personagens, principalmente de Jacob (como toda boa “jornada do herói”), que além de lidar com os riscos da missão que assumiu juntamente

com Emma e Addison, também tem de lidar com seus conflitos internos: depois que tudo passar, se passar… O que fará de sua vida? Qual mundo escolherá?

Biblioteca de Almas é o livro com mais número de páginas em comparação aos dois primeiros, e também o que carrega mais informações sobre o mundo dos peculiares, que se mostra muito mais extenso do que se imaginava. Riggs envolve os leitores da trilogia neste volume final de forma a compreender a origem de vários acontecimentos narrados nos livros anteriores, conseguindo dar um final satisfatório à jornada de Jacob e dos peculiares.

Da mesma forma que os livros anteriores, fantasia, aventura e as fotografias formam um conjunto que criam esta experiência de leitura tensa até as últimas páginas.

Anúncios
livro

O lar da Senhorita Peregrine para Crianças Peculiares

criansapeculiar

Autor Ransom Riggs, Angelo Lessa

Editora: Intrínseca

Ano: 2016

“Sono não é, morte não é;
Quem parece morrer,vive.
A casa em que nasceste,
Os amigos de tua primavera.
Ancião e donzela,
O trabalho diário e sua recompensa,
Tudo desvanece,
Refugia-se em fábulas,
Não podem receber amarras.”

(Ralph Waldo Emerson – Trecho de poema que abre o livro.)

 

Jacob Portman, personagem principal da trama, tem dezesseis anos e trabalha em uma das filiais da rede de farmácias de sua família – coisa que ele odeia fazer, tentando ser despedido de todas as maneiras. Porém, como ele logo narra no início do livro, eventos extraordinários começaram a acontecer, dividindo sua vida em Antes e Depois. É ele quem narra os acontecimentos extraordinários que ocorrem depois de um dia que começou normal – com ele tentando novamente ser despedido – quando um telefonema desesperado de Abe, seu avô ,dá fim ao “antes”.
Jacob presencia seu avô morrer, muito ferido. Também vê algo que mais ninguém vê.. A criatura que matou seu avô.
Antes de morrer, Abe diz a Jacob que ele precisa ir para a ilha, a mesma na qual havia passado parte de sua vida.

Enquanto sua família e seu terapeuta tentam convencê-lo de que o que ele viu foi apenas produto do forte trauma que sofreu, Jacob segue recordando-se das últimas palavras de seu avô e das histórias que ele contava sobre a época da Segunda Guerra Mundial, quando foi acolhido em um orfanato cujas crianças possuíam características consideradas peculiares. Abe havia contado inúmeras vezes estas histórias, chegando mesmo a mostrar fotos para provar que não era apenas imaginação.

Para livra-se da pressão de sua família e poder ter alta das sessões de terapia, Jacob tenta se convencer que todas as histórias de seu avô são apenas isso: histórias. Porém, a curiosidade vence e consegue convencer sua família a deixa-lo passar férias em Cairnholm, local indicado pelo seu avô antes de morrer… E ele descobre que as histórias eram verdadeiras: todas elas.

O livro é muito bem escrito! As descrições dos ambientes, cores e personagens são ricas, permitindo ao leitor visualizar as cenas em sua mente.

Como se não bastasse, o livro traz muitas fotografias instigadoras, em preto e branco, que foram emprestadas por colecionadores. Na realidade, foram as fotografias que inspiraram Ransom Riggsa escrever a história.
Ao final do livro, há uma entrevista com o autor, explicando o processo de criação da história, como obteve as fotografias e outras considerações sobre a obra.

O livro também virou filme: O Lar das Crianças Peculiares foi lançado em 2016, dirigido por Tim Burton.

Tanto o livro quanto o filme são muito bons, porém o livro é mais sombrio.
Há várias diferenças entre o livro e o filme, como a troca de poderes e na idade de alguns personagens, inclusive de Emma, a personagem peculiar que vem a se apaixonar por Jacob. Além disso, como na maioria das adaptações para cinema, há fatos que ocorrem apenas no filme e outros cuja ordem são alterados.

Uma vantagem do filme é que os poderes de cada criança/adolescente habitante do lar da Srta Peregrine aparece, sem um ofuscar o outro (claro que Emma aparece mais, por motivos óbvios), ao passo que no livro alguns personagens não são tão explorados.

Há troca também de algumas personagens que convivem com Jacob antes de ele encontrar o orfanato, como por exemplo a substituição do melhor (e único) amigo dele que o acompanhou quando foi à casa do avô pela sua chefe, Shelly e do gênero do psiquiatra ( no livro é um doutor, e no filme uma doutora).
A caracterização de Alma Peregrine (Eva Green) também chama a atenção no filme, e achei a personagem muito bem interpretada.
Os finais do livro e do filme diferem também, e bastante! O final do livro fica em aberto, pois há mais dois volumes depois deste: Cidade dos Etéreos e Biblioteca de Almas. Já o filme propõe um final mais harmonioso, um fechamento, de forma que se for para realizar uma sequência, também ficaria bem diferente do livro. Porém, isto não impede de gostar da história do livro e do filme também – sou suspeita para escrever sobre, já que sou a eterna chata que sempre prefere o livro ( risos).

Abraços da Marina Carla¹.

 

¹ Marina Carla escreve no blog Devaneios e Desvarios e é nossa convidada para os meses de janeiro e fevereiro.

 

livro

A parisiense

26132549_1622553321173047_1536249516_o

Autora: Ines de la Fressange

Editora: Intrínseca

Ano:2012

A parisiense é um mergulho na alma da cidadã mais glamurosa deste planeta. Um guia de estilo que fala de uma mulher elegante que conhece as tendências da moda, mas que nunca a segue à risca, porque sabe lá no fundo que o bonito é fazer a própria moda. Em outras palavras, se a moda é oncinha ela não se veste inteira desse tema, mas o usa moderadamente.

Achei engraçado que a autora fala que faz parte do charme parisiense ser esnobe. Quer dizer, eu sempre achei que eles não se percebessem assim, e não que fizessem de propósito (risos). Entretanto, para quem acha que tem o rei na barriga, elas tem momentos de uma simplicidade muito bonita de se ver. Quer dizer, Ines em alguns momentos nos recomenda a comprar em brechós e misturar com roupas de grife ou a decorar a casa com desenhos de criança e garante que teremos um ambiente trés élègant e cult.

26145196_1622552744506438_1292118200_o

O livro, porém, tem algumas coisas tristes também, como descobrir que elas acham calças leggings o fim da picada. Parece que a maioria das pessoas não fica bem com elas (mas dane-se adoro essas calças!) e por isso as parisienses as odeiam. Em compensação liberaram a ala masculina e as peças que muitas vezes herdamos das nossas mães e avós. Aliás, muitas vezes dizem que algo é antigo na família sem ser, porque o chique lá não é gastar demais em coisas de marca. Elas são do tipo que tiram onda por ter comprado algo lindo numa pechincha.

O legal é que a autora também dá endereços de lojas na cidade e de sites, então ficou até mais fácil para quem é de fora conseguir imitar o estilo delas (não que eu vá fazer isso, mas gostei da ideia de misturar jóias com camisas Hering masculinas), mas o que gostei mais é que ser chique na visão de Ines também significa ser esperta e visitar museus e livrarias (que ela também dá dicas incríveis).

Um dia quando eu tiver dinheiro e puder viajar, vou levar esse livro em baixo do braço só para conferir as dicas de hotéis, livrarias e museus de que Paris mais se orgulha.

Um abraço,

Aleska Lemos.

livro

Resenha: Amor & Gelato – Jenna Evans Welch

 

24825833_10214676192203930_1751039145_o

Título: Amor & Gelato

Autora: Jenna Evans Welch

Editora: Intrínseca

Ano: 2017

Número de Páginas: 320

Em Amor & Gelato conhecemos Lina, uma jovem de 16 anos que acabou de perder a mãe para um câncer. Ao se comprometer com uma promessa que fez para sua mãe, Lina vai para a Itália passar o verão. A vida toda de Lina sempre foi ao lado da mãe, que nunca fez menção ao seu pai, e ao chegar na Itália, a menina dá de cara com o seu pai, que aparentemente nunca quis conhecê-la e que agora terá que cuidar dela.

Com tantos acontecimentos, Lina se vê cansada e confusa. E além de parar na casa do pai que é num cemitério, ter um vizinho que mora numa casa de biscoitos, Lina recebe um presente da mãe, um diário da época em que conheceu o pai de Lina.

Com uma narrativa envolvente e alternada entre passado e futuro, com partes dos escritos do diário, nos vemos curiosos para saber o desenrolar da história, os motivos para o pai de Lina nunca procurá-la e porque só dias antes da morte da mãe, a mesma começou a dividir momentos sobre o pai de Lina. Também nos deparamos com cenas lindas sobre a Itália. Uma Itália iluminada, com amor e muito sorvete, com jovens animados e pontos turísticos que queremos adicionar a lista de lugares que queremos conhecer.

O romance acontece um pouco rápido do que estou acostumada, mas nada que não seja fofo e que não nos faça suspirar. O mocinho é um principezinho, é aquele que se preocupa, que ajuda, amigo e que está ao lado em todas as horas, sejam para tomar um gelato ou para ajudar a desvendar mistérios do diário.

24819267_10214676192003925_435018654_o

Amor & Gelato nos apresenta uma história leve, com alguns mistérios e romance. Se você procura um livro com uma história gostosa com paisagem lindas, recomendo se aventurar com Lina pela Itália.

Beijos,

Thaisa Napolitano 

livro

Resenha: Um Mais Um – Jojo Moyes

23768684_10214543050355467_239814811_o

Título: Um Mais Um

Autora: Jojo Moyes

Editora: Intrínseca

Ano: 2015 – 1ª Edição

Número de Páginas: 320

Em Um Mais Um, Jojo Moyes conta para nós a história de Jessica Thomas, uma mãe super dedicada, que teve sua primeira filha antes dos dezoito anos. Jess, além de cuidar de sua filha, também cuida de seu enteado, Nicky. O pai das crianças, Marty, saiu de casa e não voltou mais. Sem receber ajuda financeira de seu ex-marido, Jess tem que trabalhar em dois empregos, de dia Jess é faxineira e à noite, trabalha como garçonete em um pub, para poder sustentar a casa e seus filhos.

Costanza, conhecida como Tanzie, tem apenas 10 anos e é um gênio da matemática, uma menina que ama os números, direta em suas palavras e que não se encaixa no perfil de meninas de sua idade. Tanzie foi a minha personagem preferida do livro. Ela é verdadeira, a autora descreve tão bem as cenas e sensações que me fez crer que já conhecia a pequena Tanzie há muito tempo. Tanzie ganha a oportunidade de estudar em uma boa escola, mesmo com bolsa de 90%, Jess não tem como arcar com as despesas, mas uma oportunidade surge, a de Tanzie participar de uma Olimpíada de Matemática e quem sabe ganhar o prêmio em dinheiro.

Nicky, tem dezesseis anos e sofre bullying por ser diferente, anda sempre com os ombros para baixo, triste e sem entender porque as pessoas maltratam tanto as que são diferentes. Nicky é um personagem que cresce ao longo da narrativa, é nítida a sua mudança e vemos como sua relação com Jess melhora, um adolescente fechado, que reprimia seus sentimentos, e que começa a sorrir e a dizer o que pensa.

Ed Nicholls, é um milionário que também está cheio de problemas. Acusado por fornecer informações privilegiadas sobre sua própria empresa, Ed está correndo o risco de perder tudo e ir para a cadeia, além desse grande problema, seu pai está mal de saúde e mesmo precisando estar perto da família, Ed vai se afastando e evitando cada vez mais o contato com seus pais.

Para retribuir um favor, Ed dá carona para a família Thomas e para o cachorro deles, Norman, para a Escócia, e nessa viagem Ed e Jess dão de cara com realidade financeiras distintas, problemas reais e um amor que vai crescendo entre eles.

… mas de algum modo, a soma dos dois resultaria em algo melhor. Eles fariam tudo dar certo.”

 

23770258_10214543142997783_1944180223_o

O romance entre os protagonistas apesar de ser clichê, eu gostei bastante pois é um amor que nasce na convivência entre os dois. Deixamos de nos importar com o clichê quando assuntos delicados são abordados com bastante simplicidade, mas que não deixam a importância desses assuntos de lado. Moyes aborda sobre bullying, relação entre pais e filhos, divórcio, relacionamento familiar, a realidade de diversas mulheres que são mãe e pai, que suam para dar o pouco que pode para os filhos, união, generosidade de terceiros, gratidão e fé.

Um Mais Um é o segundo livro que li da Jojo Moyes. O primeiro livro foi Como Eu Era Antes de Você, que foi para as telas do cinema, ainda não vi o filme, porque sei que irei chorar tanto quanto chorei lendo o livro.

Este é um romance que nos faz suspirar com sua simplicidade, uma história com dramas reais, que nos ensina lições valiosas e nos mostra que nossas atitudes podem sim mudar as coisas. Com certeza esse livro vai para a lista dos melhores livros que li esse ano e se você procura um livro recheado de bom humor, com diálogos inteligentes, uma narrativa envolvente e um romance sublime, esse livro é ideal. Venha se aventurar com a família Thomas e Ed para a Escócia, com certeza você voltará dessa viagem com a fé renovada.

Thaisa Napolitano

livro

Resenha: Extraordinário- R.J. Palacio

20563087_10213610574884163_340964678_n

Título: Extraordinário

Ano: 2013

Editora: Intrínseca

Autor: R. J. Palacio

Número de Páginas: 320

Sabe aquele livro que você não dá nada pela capa? Então, sempre vi esse livro nas livrarias e nunca me interessei  em saber que história ele contava. Após ver o trailer oficial do filme que foi inspirado neste livro, eu me emocionei e não tive dúvidas, eu precisava conhecer a história desse menino extraordinário.

Auggie é uma criança que nasceu com uma síndrome genética, que faz com que o seu rosto se deforme. Auggie é apenas uma garotinho que de tantas idas e vindas do hospital e várias cirurgias, não pode aproveitar a sua infância com outros meninos de sua idade. Quando seus pais acreditavam que talvez esteja na hora de Auggie começar a frequentar a escola, ele consegue visualizar o grande desafio que estar por vir. Auggie é um menino muito maduro e ao entrar na escola sofre com olhares curiosos, brincadeiras e piadas de mau gosto, mas em meio disso tudo, também existe a verdadeira amizade. E ao desenrolar da história, vamos vendo o crescimento do nosso protagonista que fala sobre gentileza de uma forma muito pura.

A história é narrada pelo ponto de vista de Auggie e é alternada entre diversos personagens que participam diretamente ou indiretamente de sua vida. A narrativa é muito fácil de se compreender, não possui uma escrita rebuscada e apesar do assunto abordado no livro ser bem delicado, a autora nos faz querer devorar as páginas e nos tornando um aliado para derrotar o bullying. Houveram cenas que foi impossível não sofrer com Auggie e mesmo assim ele nos mostra como podemos dar a volta por cima. Auggie é aquele menino que só quer ser mais um no meio de uma multidão e sabe a importância de sermos únicos também.

Auggie emociona pessoas de todas as idades com a sua história, não deixe de se emocionar e se divertir com suas aventuras. Para conferir o trailer do filme é só clicar aqui. Esse é um dos livros que ao terminar de ler, me senti mudar. Recomendo esse livro emocionante, divertido e muito fofo, uma história de crescimento e superações de barreiras impostas pela vida contada por um menino extraordinário.

Thaisa Napolitano