livro

Resenha: Louis e Noémie – Um (a)caso do amor em Paris – Giulia Mancini

louis e noemie

 

 

Título: Louis e Noémie – Um (a)caso de amor em Paris

Autora: Giulia Mancini

Editora: Produção Independente

Ano: 2014

Número de Páginas: 97

 

 

 

“Em um mundo perfeito, as sombras de amor são felizes.”

“Louis e Noemi – Um (a)caso de amor em Paris”, é um conto de amor da autora carioca Giulia Mancini. Nesse conto conhecemos Louis e Noémie, que estavam em Paris, na ponte mais famosa eternizando o seu amor. Louis eternizando o seu amor através de um cadeado com Blanche, e Noémie eternizando o seu amor com Gael. Mas, Noémie e Louis acabam trocando olhares, ele se encantou pelo sorriso dela, e ela gostou do olhar dele. Não preciso dizer que a conexão entre eles foi imediata, não é? Com uma mãozinha do destino, eles acabam se falando e vão tomar um café juntos.

Seis anos depois, Louis estava na mesma ponte quando repara em uma mulher e se dá conta de que é a Noémie. A situação de agora é totalmente diferente. Louis carrega o peso de uma tristeza no olhar e Noémie não está com o sorriso encantador de antes. Ao se reencontrarem, os personagens se questionam o que aconteceu para que cada um tenha mudado, qual a angústia os atormentam e se devem se permitir alimentar essa  ligação que possuem um pelo outro.

O nosso encontro não era só mais uma casualidade, era destino. Dois estranhos que voltam ao mesmo lugar onde se conheceram anos atrás, dois estranhos não tão estranhos assim.”

O conto é bem curtinho, delicioso de ler e nos prende por sua narrativa. O livro não conta a história clichê de um casal apaixonado em Paris, a autora nos conta a história de dois casais e como o destino mudou os planos de cada um, com um certo momento que faz o nosso coração partir. Gostaria que o conto fosse um pouco maior, que se aprofundasse mais na história do casal.

O E-book está disponível na Amazon e está gratuito!

Recomendo a leitura desse conto para aquele dia em que queremos só relaxar e ler algo leve e encantador.

Thaisa Napolitano

Anúncios
livro, Sem categoria

Resenha: Enquanto Houver Tempo – Paola Scott

27746174_10215210396438702_2124620833_o.jpg

Título: Enquanto Houver Tempo

Autora: Paola Scott

Editora: The Gift Box

Ano: 2018

Número de Páginas: 340

Eu achava que tinha tudo o que precisava. Só não tinha controle do próprio tempo. Não via que os dias estavam passando. Não percebia que a juventude estava escoando entre os dedos e que eu estava cada vez mais sozinho.”

Dante tem 37 anos, mora em São Paulo, homem de negócios e se vê obrigado a sair do ritmo frenético de sua vida após sofrer um infarto. Com o trabalho, Dante esqueceu de sua saúde, de sua vida amorosa e principalmente de sua família. Sua irmã Poliana se preocupa com ele e tenta mostrar que a vida não é só trabalho e estresse, e acaba o convencendo a viajar para um lugar calmo, totalmente diferente da cidade grande.

Chegando na pousada, Dante se dá conta da paz e tranquilidade do sul, mas mesmo assim sempre tenta comparar a rotina da cidade pequena com a cidade grande,  e pensando em encurtar a viagem, mas essa ideia logo muda assim que conhece Gaia.

Gaia é uma jovem que vive para a terra, cultiva maçãs, ama os seus cavalos e sua cadela Apfel. Gaia leva a sério sua filosofia de que devemos aproveitar cada dia como se fosse o último, cada dia sendo um presente.

Os dois são totalmente opostos, mas mesmo assim Dante se sente atraído pela linda jovem de sorriso tranquilizador. E Gaia, também se sente atraída pelo homem refinado da cidade, que está claramente deslocado no campo.

Gaia acaba “salvando” Dante de uma situação no meio da estrada e acabam se aproximando e se relacionando. Mesmo sabendo que o homem sedutor está de férias e que em poucos dias irá voltar para a sua cidade, Gaia não consegue não se apaixonar por Dante, que por sua vez, também não resiste aos encantos da jovem.

Ao voltar para São Paulo, Dante volta para o trabalho e para o estresse da rotina da vida de um homem de negócios em uma cidade grande e percebe o quanto está sentindo falta da tranquilidade do campo. Após ter uma crise de ansiedade, Dante fica preocupado em ter um novo infarto e reflete sobre a sua vida e toma uma decisão, voltar para o sul, para ficar com Gaia e construir sua vida ao lado dela no campo. Mas ao voltar, Dante encontra Gaia precisando urgentemente de ajuda, e ele tentará fazer de tudo para ter o amor de sua vida ao seu lado.

Amo ver o seu sorriso e a alegria que transborda de você quando está em paz, no seu lar. É isso que você me dá. O prazer de viver ao seu lado, simplesmente.”

Enquanto Houver Tempo é o primeiro livro que leio da autora brasileira Paola Scott. Me encantei pela escrita da autora desde o começo, a narrativa e os detalhes me prenderam que não consegui me desgrudar de Dante e Gaia. No início, durante o flerte dos personagens me senti um pouco incomodada com os diálogos entre eles, mas depois só foi melhorando. Me conectei bastante com o casal, torci por eles, sofri e chorei com eles.

Um livro totalmente marcante, que nos transporta para paisagens lindas da serra gaúcha, uma história que fala sobre aproveitarmos a vida, a família, e viver com quem amamos. Além de toda essa reflexão, a autora aborda um assunto bastante delicado que ainda é pouco conhecido por nós.

Indico esse romance de olhos fechados, uma história de amor, superação e de transformações de vida. Uma história com personagens cativantes que te farão repensar sobre a vida, te farão se apaixonar pela vida no campo e pelo casal maravilhoso.

Dizem que a felicidade é feita de momentos. E concordo plenamente. Eu tinha vários deles guardados na memória, cada qual com a sua escala de intensidade. Todos tinham seu grau de importância e eu sabia que jamais haveria outro igual a um já vivido. Por isso, eu valorizava cada novo instante. Deixava que a sensação de euforia, vigor e alegria me invadissem, criando novas lembranças e emoções.”

Thaisa Napolitano

livro

Resenha: Mais Lindo que a Lua – Julia Quinn

27744451_10215210629764535_1347510129_o.jpg

Título: Mais Lindo que a Lua

Autora: Julia Quinn

Editora: Arqueiro

Ano: 2018

Número de Páginas: 272

– E acha que está apaixonada? Victoria, apenas os tolos e os poetas se apaixonam à primeira vista.
– Então suponho que eu seja uma tola – disse Victoria com entusiasmo. – Poque Deus sabe que não sou poetisa.

Mais Lindo que a Lua é o novo livro de Julia Quinn, que foi recém lançado pela editora Arqueiro. Assim como os outros romances da autora, este livro é recheado de personagens bem escritos, cenários belos, diálogos inteligentes e claro, muito amor!

O assunto abordado é o amor à primeira vista, e já nas primeiras páginas achei que o desfecho da história já estava perto de acontecer e fiquei me perguntando o que haveria nas páginas seguintes, já que o casal do livro, já tinham se encontrado, se apaixonado à primeira vista e já tinham trocado muitas juras de amor. Mas diva é diva, não é mesmo? Julia Quinn conseguiu dar uma reviravolta nesse relacionamento e me deixou curiosa para saber o que aconteceria.

Victoria Lyndon é filha do vigário e Robert Kemble é conde de Macclesfield. Os dois ao se encontrarem acabam se apaixonando e a partir desse dia, não se desgrudam mais. O pai de Victoria, o vigário, alerta a filha sobre o rapaz, acreditando que o jovem conde só quer seduzi-lá, e o pai de Robert, tenta convencer o filho de que sua amada não passa de uma aproveitadora, querendo usufruir de sua herança. Com os pais contra o relacionamento dos dois, Robert planeja fugir com Victoria, mas a fuga acaba não dando certo, e eles acabam acreditando que seus pais estavam certos.

Victoria e Robert estão machucados, acreditando que foram abandonados decidem partir para uma vida nova, mas tudo não passa de um engano. Robert vai para Londres e Victoria arruma um emprego como preceptora.

Sete anos se passaram, Victoria se sente infeliz no trabalho, está longe do pai e da irmã, a única com quem mantém contato por cartas. A jovem foi a quem mais se machucou com o fim do relacionamento.

Robert não superou ser “abandonado” e com isso saiu com diversas mulheres para tentar esquecer sua amada, mas não deu certo. Ao se reencontrarem por acaso, Robert percebe que ainda deseja Victoria, e ela mesmo com raiva, tenta não ceder aos encantos do amor de sua vida.

A história é clichê, mas é maravilhosa. A escrita da autora é leve e bem fluída. Uma narrativa bem divertida, envolvente e com diálogos inteligentes e cheio de humor. Nosso mocinho é bem insistente e teve momentos em que me senti sufocada de tanto que ele insiste em mostrar para Victoria que ela ainda o ama, enquanto Victoria está vivendo seus dilemas e tentando descobrir se deve deixar levar pelo sentimento e talvez ter seu coração partido novamente, ou se fechar totalmente e ignorar o que sente.

Julia Quinn é minha autora preferida, amo os livros dela, mas esse com certeza saiu em disparada! A edição está linda, bem feita, com uma ótima diagramação, sem nenhum erro e a capa é linda demais!!

Mais Lindo que a Lua é o primeiro volume da série Irmãs Lyndon, e é claro que já estou ansiosa para ler o segundo volume, Mais Forte que o Sol conta a história de Ellie.

Se você está procurando uma leitura rápida, um romance cheio de reviravoltas, reencontros e desafios, te recomendo de olhos fechados!

Thaisa Napolitano 

livro

Resenha: Outros Jeito de Usar a Boca – Rupi Kaur

26194339_10214878412379308_132310724_o

Título: Outros Jeitos de Usar a Boca

Autora: Rupi Kaur

Editora: Planeta

Ano: 2017

Número de Páginas: 208

Olá Aventureiros! Hoje venho com a resenha de um livro bem diferente do que estamos acostumadas a resenhar. Um dos últimos livros que li em 2017, Outros Jeitos de Usar a Boca é um livro de poesias. Poesias que falam sobre o amor, o sexo, a sobrevivência, o abuso, feminilidade, segurança, insegurança, solidão, cura, perda… São poemas que englobam assuntos delicados, tabus e o ciclo do amor.

O livro é dividido em 4 partes: a dor, o amor, a ruptura e a cura.

Na primeira parte, temos poemas que falam sobre abuso sexual, relacionamento abusivo, relação pai e filha complicados, a violência e assuntos delicados que mostram o lado “difícil de ser mulher”. Os poemas dessa parte me incomodaram bastante, acredito que tenha sido o intuito da poetisa, passar essa sensação para o leitor. Poemas curtos e diretos, me deixaram nua para sentir a angústia e a dor dos problemas abordados.

Na segunda parte, o amor, os poemas são muito mais tranquilos, pois falam sobre a beleza do amor, sobre estar com alguém, o  companheirismo, a segurança de estar nos braços de quem amamos. Aborda as melhores sensações de um amor correspondido, sobre o sexo e a satisfação feminina.

você pode não ter sido meu primeiro amor

mas foi o amor que tornou

todos os outros amores

irrelevantes”

Na terceira parte, a ruptura, encontramos poemas sobre o fim de um relacionamento, o lado doloroso do fim de um amor, a saudade, as lágrimas derramadas, as brigas e orgulho.

não sei por que

me rasgo pelos

outros mesmo sabendo

que me costurar

dói do mesmo jeito

depois”

Na quarta e última parte do livro, a cura, encontramos poemas de empoderamento feminino, o levantar depois de um rompimento. São poemas bonitos, que mostram a força de cada mulher.

26178309_10214878412619314_1947461180_o

O livro é rápido de ler, li de uma vez e já quero reler. Os poemas são curtos, diretos e fortes. Os poemas que estão na resenha, são os que eu mais gostei, os que mais me identifiquei. Se você curte poesias, leia esse livro, e se você não curte muito, também leia. O enfoque pode ser no público feminino, mas os poemas devem ser lido por todos, por todos que amam ou já amaram.

Thaisa Napolitano

 

livro

Resenha: Mil Beijos de Garoto – Tillie Cole

 

25530512_10214787556507968_161004676_o

Título: Mil Beijos de Garoto

Autora: Tillie Collie

Editora: Outro Planeta

Ano: 2017

Número de Páginas: 397

Mil Beijos de Garoto é uma história de amor. De um amor devastador. De um amor sofrido, mas que não deixa de ser bonito. Nesta história vamos conhecer Poppy e Rune, duas crianças de apenas 5 anos, que se tornam vizinhas quando Rune se muda para a casa ao lado de Poppy.

Aos 8 anos de idade, Poppy ganha de sua avó um pote com mil corações de papel, para que ela possa escrever mil beijos que fizeram seu coração quase explodir e para lembrar deles quando o tempo passar. Rune ao saber do presente e do propósito dos mil corações sente ciúmes e percebe que não quer nenhum outro garoto preenchendo aqueles corações, só ele. Neste momento, os dois trocam promessas e se tornam inseparáveis.

Mas o destino decidiu separá-los, Rune volta para Noruega, seu país de origem e tenta manter contato com sua querida amada Poppy, mas a garota depois de pouco tempo, some, para de responder as mensagens e de atender aos telefonemas de Rune, o deixando mais desolado e triste. Dois anos depois Rune volta para a casa ao lado de Poppy, e ao se reencontrarem, percebem que os dois mudaram. Rune quer explicações sobre o sumiço de Poppy, e ao descobrir a verdade, percebe que a dor da distância se tornará pequena se comparada a dor dessa revelação.

Quando você sabe que algo é finito, isso torna aquilo muito mais significativo.”

25579172_10214787556107958_1075652839_o

A narrativa é alternada entre Poppy e Rune, a leitura é fluida e há muitos trechos bonitos e reflexivos sobre o amor e a vida. Poppy é uma protagonista cheia de vida, que nos mostra que devemos superar as rasteiras da vida, que me encantou logo de cara, diferente de Rune, que se mostrou um personagem um pouco difícil, mas que ao decorrer da narrativa foi me cativando, pois é um personagem que cresce bastante.

…a vida não precisa ser tão séria. Que a vida era para ser vivida. Que a vida era uma grande aventura, para ser vivida bem e ao máximo.”

Tiveram alguns pontos que não me agradaram nesse livro e achei que deveria listá-los.

  1. A precocidade das crianças: Aos 8 anos de idade, eles sabem falar sobre o que é para sempre e o significado de nunca, de forma bem reflexiva, e não engoli essa ideia.
  2. A possessividade de Rune: Aos saber dos mil beijos, ele sente ciúmes e ambos prometem que seus lábios serão para sempre um do outro, achei um sentimento muito marcado para uma criança de apenas 8 anos. E ao perceber que outro jovem olha para Poppy, ele tenta mostrar que ela é dele, e só dele.
  3. Egoísmo: Rune se fecha totalmente para a família após a separação com Poppy, se voltando contra a família, principalmente contra o pai. E ao reencontrar Poppy, ela deseja que ele volte a ser a pessoa que era, sem raiva e que ama as pessoas, e ele pensa que ele não irá mudar, mas sim ela. E a forma do personagem lidar com a dor foi muito agressiva, esquecendo que os que estavam a sua volta também sofriam.

Apesar do pontos que não me agradaram, eu gostei do livro, vemos a mudança dos personagens e perdoei o que não me agradou, amei as mensagens que a Poppy passa para o leitor, de que as coisas são finitas e que devemos aproveitar cada momento com quem amamos. Aproveitar cada dia e cada oportunidade de sentir o sol no rosto em um novo dia. Infelizmente, não sei o que dizer sobre o epílogo, o momento descrito é muito bonito, mas ao terminar senti um ponto de interrogação surgindo em minha mente.

Porque nada tão perfeito pode durar uma eternidade.”

Esse é um livro destruidor de corações, que nos faz sofrer, chorar, e eu chorei horrores em alguns momentos, mas ao terminar de ler, vi que Rune apesar de ter amado muito a Poppy, viveu um luto por muito tempo e nós temos que ser felizes por nós mesmos, que não dependemos de outro alguém para nos completar e sim para somar. Recomendo esse livro para quem gosta de um romance sofredor, mas não deixem de lado fatores importantes que são abordados no livro. Sofrimento, dor e lágrimas vão existir, mas que passam com o tempo, e que às vezes não há nada a fazer, além de resistir à tempestade.

Thaisa Napolitano

livro

Resenha: Amor & Gelato – Jenna Evans Welch

 

24825833_10214676192203930_1751039145_o

Título: Amor & Gelato

Autora: Jenna Evans Welch

Editora: Intrínseca

Ano: 2017

Número de Páginas: 320

Em Amor & Gelato conhecemos Lina, uma jovem de 16 anos que acabou de perder a mãe para um câncer. Ao se comprometer com uma promessa que fez para sua mãe, Lina vai para a Itália passar o verão. A vida toda de Lina sempre foi ao lado da mãe, que nunca fez menção ao seu pai, e ao chegar na Itália, a menina dá de cara com o seu pai, que aparentemente nunca quis conhecê-la e que agora terá que cuidar dela.

Com tantos acontecimentos, Lina se vê cansada e confusa. E além de parar na casa do pai que é num cemitério, ter um vizinho que mora numa casa de biscoitos, Lina recebe um presente da mãe, um diário da época em que conheceu o pai de Lina.

Com uma narrativa envolvente e alternada entre passado e futuro, com partes dos escritos do diário, nos vemos curiosos para saber o desenrolar da história, os motivos para o pai de Lina nunca procurá-la e porque só dias antes da morte da mãe, a mesma começou a dividir momentos sobre o pai de Lina. Também nos deparamos com cenas lindas sobre a Itália. Uma Itália iluminada, com amor e muito sorvete, com jovens animados e pontos turísticos que queremos adicionar a lista de lugares que queremos conhecer.

O romance acontece um pouco rápido do que estou acostumada, mas nada que não seja fofo e que não nos faça suspirar. O mocinho é um principezinho, é aquele que se preocupa, que ajuda, amigo e que está ao lado em todas as horas, sejam para tomar um gelato ou para ajudar a desvendar mistérios do diário.

24819267_10214676192003925_435018654_o

Amor & Gelato nos apresenta uma história leve, com alguns mistérios e romance. Se você procura um livro com uma história gostosa com paisagem lindas, recomendo se aventurar com Lina pela Itália.

Beijos,

Thaisa Napolitano 

livro

Resenha: Um Mais Um – Jojo Moyes

23768684_10214543050355467_239814811_o

Título: Um Mais Um

Autora: Jojo Moyes

Editora: Intrínseca

Ano: 2015 – 1ª Edição

Número de Páginas: 320

Em Um Mais Um, Jojo Moyes conta para nós a história de Jessica Thomas, uma mãe super dedicada, que teve sua primeira filha antes dos dezoito anos. Jess, além de cuidar de sua filha, também cuida de seu enteado, Nicky. O pai das crianças, Marty, saiu de casa e não voltou mais. Sem receber ajuda financeira de seu ex-marido, Jess tem que trabalhar em dois empregos, de dia Jess é faxineira e à noite, trabalha como garçonete em um pub, para poder sustentar a casa e seus filhos.

Costanza, conhecida como Tanzie, tem apenas 10 anos e é um gênio da matemática, uma menina que ama os números, direta em suas palavras e que não se encaixa no perfil de meninas de sua idade. Tanzie foi a minha personagem preferida do livro. Ela é verdadeira, a autora descreve tão bem as cenas e sensações que me fez crer que já conhecia a pequena Tanzie há muito tempo. Tanzie ganha a oportunidade de estudar em uma boa escola, mesmo com bolsa de 90%, Jess não tem como arcar com as despesas, mas uma oportunidade surge, a de Tanzie participar de uma Olimpíada de Matemática e quem sabe ganhar o prêmio em dinheiro.

Nicky, tem dezesseis anos e sofre bullying por ser diferente, anda sempre com os ombros para baixo, triste e sem entender porque as pessoas maltratam tanto as que são diferentes. Nicky é um personagem que cresce ao longo da narrativa, é nítida a sua mudança e vemos como sua relação com Jess melhora, um adolescente fechado, que reprimia seus sentimentos, e que começa a sorrir e a dizer o que pensa.

Ed Nicholls, é um milionário que também está cheio de problemas. Acusado por fornecer informações privilegiadas sobre sua própria empresa, Ed está correndo o risco de perder tudo e ir para a cadeia, além desse grande problema, seu pai está mal de saúde e mesmo precisando estar perto da família, Ed vai se afastando e evitando cada vez mais o contato com seus pais.

Para retribuir um favor, Ed dá carona para a família Thomas e para o cachorro deles, Norman, para a Escócia, e nessa viagem Ed e Jess dão de cara com realidade financeiras distintas, problemas reais e um amor que vai crescendo entre eles.

… mas de algum modo, a soma dos dois resultaria em algo melhor. Eles fariam tudo dar certo.”

 

23770258_10214543142997783_1944180223_o

O romance entre os protagonistas apesar de ser clichê, eu gostei bastante pois é um amor que nasce na convivência entre os dois. Deixamos de nos importar com o clichê quando assuntos delicados são abordados com bastante simplicidade, mas que não deixam a importância desses assuntos de lado. Moyes aborda sobre bullying, relação entre pais e filhos, divórcio, relacionamento familiar, a realidade de diversas mulheres que são mãe e pai, que suam para dar o pouco que pode para os filhos, união, generosidade de terceiros, gratidão e fé.

Um Mais Um é o segundo livro que li da Jojo Moyes. O primeiro livro foi Como Eu Era Antes de Você, que foi para as telas do cinema, ainda não vi o filme, porque sei que irei chorar tanto quanto chorei lendo o livro.

Este é um romance que nos faz suspirar com sua simplicidade, uma história com dramas reais, que nos ensina lições valiosas e nos mostra que nossas atitudes podem sim mudar as coisas. Com certeza esse livro vai para a lista dos melhores livros que li esse ano e se você procura um livro recheado de bom humor, com diálogos inteligentes, uma narrativa envolvente e um romance sublime, esse livro é ideal. Venha se aventurar com a família Thomas e Ed para a Escócia, com certeza você voltará dessa viagem com a fé renovada.

Thaisa Napolitano

livro

Resenha: Corte de Espinhos e Rosas – Sarah J. Maas

23336247_10214433999349260_633278590_o

Título: Corte de Espinhos e Rosas

Autora: Sarah J. Maas

Editora: Galera Record

Ano: 2017 – 6ª Edição

Número de Páginas: 434

Corte de Espinhos e Rosas é uma fantasia envolvente, com aventuras, romance e com muitas reviravoltas. Esse foi o meu primeiro contato com a Sarah J. Maas e posso dizer que foi incrível. Estava com as expectativas altas quando comecei a ler o livro e não me decepcionei, uma trama bem desenvolvida, com personagens cativantes e fortes.

A nossa protagonista é uma jovem, a caçula da família que precisa sustentar seu lar após a inadimplência de seu pai. Falidos, Feyre é a única que caça para alimentar sua família, seu pai não faz nada para ajudar em casa e suas irmãs vivem em um mundo de conto de fadas. Em uma de suas caçadas, Feyre mata um lobo, criando uma revolta em Tamlin, um Grão-Feérico, que mora em Prythian.

Como punição pela vida que tirou, Feyre é levada por Tamlin para Prythian, uma vida em troca de outra. E em sua nova vida, Feyre descobre segredos sobre a “praga” que assombra os feéricos, que na Corte Primaveril, todos usam uma máscara presa ao rosto. Descobre também sensações novas, uma vida muito diferente da sua, com seres diferentes com qual vivia, relembrando lendas que escutou na infância e vendo em parte, se tornarem realidade.

Feyre é uma personagem muito forte, que no meio da trama perdeu sua força, oscilando bastante pela sua história de vida. Uma menina que cuidava da casa, que pensava no pão de cada dia e que de uma hora para outra, se vê cuidada, mesmo com medo, Feyre se entrega a esse novo mundo, a essa nova realidade, dando espaço para aquilo que sempre quis fazer, e que sempre foi importante para si, a pintura.

A história se passa em Prythian, um território dividido em reinos, que possui uma muralha que divide os Grão-Feéricos dos humanos. Uma divisão que foi tomada após uma guerra, onde um queria dominar o outro. A descrição das Cortes que aparecem no livro são bem detalhadas e lindas.

23336499_10214433998749245_1247594667_o

A narrativa é em primeira pessoa, Feyre nos conta tudo o que se passa ao seu redor e dentro de si. Percebemos que há muitos assuntos que a autora deixa nas entrelinhas, o preconceito é bastante visível entre os humanos e Feéricos. A relação entre pai e filho, a ausência de uma figura paterna que é um tema visto com frequência em histórias de fantasias, o relacionamento amoroso que não precisa ser um conto de fadas e que nem o príncipe precisa nos salvar em seu cavalo branco.

A escrita da autora é viciante, no início, achei bem arrastado, mas quando engata, é impossível parar de ler, ainda mais com tantas coisas que acontecem. O final é surpreendente, aquele final de tirar o fôlego! Corte de Espinhos e Rosas é uma releitura de A Bela e a Fera, mas que não se prende a história que conhecemos e ao lembrar desse detalhe, só consegui fazer referências no início do livro. Este é o primeiro livro de uma série, os três primeiros livros já foram lançados e quando comecei a escrever essa resenha, fiquei sabendo que terá um conto após o terceiro livro, que foi lançado recentemente, e terão mais três livros.

A capa do livro é aveludada e maravilhosa! A Galera Record arrasou! Se você está procurando uma fantasia rica em aventura, seres mágicos, romance e reviravoltas, Corte de Espinhos e Rosas é a escolha certa!

Thaisa Napolitano 

livro

Resenha: O Ódio que Você Semeia – Angie Thomas

22790895_10214330113992191_683364155_o

Título: O Ódio que Você Semeia

Autora: Angie Thomas

Editora: Galera Record

Ano: 2017

Número de Páginas: 378

O Ódio que Você Semeia da autora Angie Thomas é um romance que nos faz questionar se a justiça é cega, que nos faz refletir sobre os problemas, preconceitos que negros sofrem no dia a dia, uma história que nos faz refletir sobre realidades que podem ou não ser nossas.

Starr é uma adolescente de 16 anos que vive em dois mundos. Ela mora num bairro pobre considerado perigoso, e estuda em uma escola particular, onde a maioria dos alunos são brancos. Starr vive em duas realidades que se chocam diariamente, que a fazem se transformar em duas Starrs: A Starr de Garden Heights e a Starr da escola Williamson.

Uma adolescente comum, estudiosa, que vai a festas, possui amigos e que ajuda seu pai trabalhando no mercado da família. Quando tudo parece estar em harmonia, Starr acaba presenciando a morte de seu melhor amigo, seu grande amigo Khalil, com quem cresceu junto. Além do trauma de ver uma pessoa sendo morta, Starr é a única testemunha e logo o caso toma espaço na mídia.

Para Starr, Khalil era seu melhor amigo, que sempre se preocupou com a sua mãe, mas para a mídia, Khalil era um traficante, negro, um bandido desarmado. Julgamentos bombardeiam Khalil, medo bombardeia Starr. Khalil foi morto por um policial, e quando descobrem sobre a testemunha, Starr e sua família sofrem ameaças vindo de vários lados. Ameaças de chefões do tráfico de seu bairro e ameaças de policiais. Todos querem saber a verdade e cabe a Starr dizer o que sabe, dizer o que viu. Mas não é tão simples assim, o que ela disser pode acabar indo contra a sua família, contra seu bairro, e contra aqueles que confiam em Starr, não apenas para fazer justiça à Khalil, mas para mudar a realidade de casos de negros que foram assassinados e que não tiveram justiça e foram esquecidos.

Starr é uma protagonista que cresce ao longo da narrativa. Apesar de traumas passados e com o mais novo trauma, Starr é forte e corajosa para enfrentar depoimentos, tribunais e julgamentos da sociedade. A narrativa está em primeira pessoa, sabemos o que se passa na cabeça da protagonista. Os personagens secundários são bem construídos, nos deixando a par do ambiente e clima que cada personagem nos transmite. Personagens com dramas reais, que vão além de morar em um bairro pobre, que passam por questões de superações, tráfico de drogas, vício em drogas e até violência doméstica.

Indico a todos esse livro. Uma leitura muito fluida, que quando vemos já devoramos facilmente 50 páginas. O que me incomodou um pouco no começo foi o tamanho dos capítulos, achei um pouco longo, mas quando a leitura engata, esquecemos desse detalhe. Como disse no início da resenha, é um livro que nos faz refletir realidades que nem sempre estão em nosso alcance, às vezes são realidades que vemos pela televisão, que podem acabar sendo deturpadas.

O Ódio que Você Semeia será adaptado pela Fox para as telonas e já tem o elenco confirmado. E chegou em primeiro lugar na lista do New York Times na semana em que foi lançado.

Starr me levou para conhecer a sua realidade e me mostrou que “às vezes, as coisas dão errado, mas o importante é continuar fazendo o certo”.

Thaisa Napolitano

livro

Resenha: Sorrisos Quebrados – Sofia Silva

22199012_10214148845340588_1985839266_o

Título: Sorrisos Quebrados

Autora: Sofia Silva

Editora: Valentina

Ano: 2017

Número de Páginas: 232

Sorrisos Quebrados conta uma história triste, traumática e ao mesmo tempo poética. Quando ganhei o livro, não sabia que em suas páginas haviam tantas dores, tantos medos, nos envolvendo e fazendo refletir sobre violência doméstica, abuso sexual, drogas e deficiência. Este é o primeiro livro de Sofia Silva, uma autora portuguesa que aborda assuntos delicados. Nesta história conhecemos Paola e André, personagens que sofrem no passado e tentam reconstruir suas vidas.

Paola vive em uma clínica após ter sofridos grandes traumas. Uma pessoa que tenta colorir sua vida através da pintura, que consegue enxergar luz e verdade na escuridão. André é pai solteiro, um homem trabalhador, que faz de tudo para dar o bom e do melhor para sua pequena filha Sol. Sol é uma criança de apenas 4 anos, uma criança super especial que também possui traumas.

Sol é elo entre esses dois personagens, é a leveza na vida dos dois e no livro. Com a Sol, esquecemos as dores dos personagens e enxergamos a inocência de uma criança, o olhar puro do mundo.

Todo dia é um recomeço.

Todo dia eu renasço.

Todo dia eu me levanto.

Todo dia eu não desisto.

Todo dia eu vivo como se não tivesse 

Todos os dias. “

O livro é dividido em 4 partes, e em cada parte percebemos as lutas de cada personagem, a vontade de querer viver sem medos, de poder confiar em outro alguém e dar seu coração para que cuidem. Todo dia é um recomeço. Todo dia é uma nova chance de deixar seus medos para trás. E é com fluidez que Sofia aborda esses assuntos delicados.

22199130_10214148845300587_429641110_o

O livro possui cenas fortes, o prólogo intenso me fez chorar, e também me chocou, uma realidade vivida por tantas mulheres, um problema real que muitos não querem ver. Há também romance e cenas de sexo. Apesar de perceber a luta que Paola tenta vencer em confiar em alguém, em se aproximar de um outro homem, achei que ela acabou se entregando um pouco mais fácil que André. No meu ponto de vista, os traumas de Sofia eram bem maiores, mas quem demorou a ceder e vencer os próprios medos foi André.

Com ele percebi que é na escuridão que brilha o amor verdadeiro, que as palavras verdadeiras reluzem…”

Sorrisos Quebrados é um livro brilhante, chocante e lindo. Com uma personagem forte que não pensa em desistir, que criou o seu próprio mundo através das cores, que acredita que a vida não é mais um dia, e sim feito por pequenos momentos de felicidade. Indico a leitura desse livro, mas se prepare pois você leitor, irá sofrer, se apaixonar e brilhar com as cores de Paola.

Thaisa Napolitano