livro

Resenha: Uma Sombra Ardente e Brilhante – Jessica Cluess

23314109_10214429482556343_660292403_o

Título: Uma Sombra Ardente e Brilhante

Autora: Jessica Cluess

Editora: Galera Record

Ano: 2017

Número de Páginas: 336

Uma Sombra Ardente e Brilhante é um lançamento da Editora Galera e é uma fantasia repleta de magia, feiticeiros e magos. Impossível ler e não ter referências de Harry Potter.  A história se passa em Londres, com a protagonista, Henrietta Howel que é uma jovem que possui um poder distinto, capaz de gerar fogo.

Henrietta é professora em um internato para meninas, que sempre tentava proteger as alunas das injustas e duras regras impostas pelo diretor. Henrietta possui um poder de gerar chamas em momentos de perigo e estresse, por não entender seus poderes, ela não consegue controlá-lo e esconde de seus superiores. Mas quando ocorre um encontro com uma medonha criatura, Henrietta usa seu poder para salvar seu melhor amigo, Rook, e com isso, um feiticeiro a descobre e a leva para Londres.

Em Londres, a jovem começa ter respostas de tantas perguntas, e se depara com uma profecia, na qual uma jovem feiticeira se ergueria em tempos de guerra para salvar a nação dos ancestrais. E aí surge uma nova questão: Seria ela a feiticeira da tal profecia?

O livro é muito bem escrito, é uma narrativa que te prende e é bastante fluida. As cenas de ação são bem descritas, assim como a descrição dos poderes em ação. Os personagens secundários são bem desenvolvidos, e conseguimos imaginar claramente suas personalidades. Nossa protagonista é uma jovem forte, negra, que passou por momentos de sofrimento, órfã, foi morar com a tia quando pequena, que não gostava dela, e que vive em uma sociedade machista, na qual só quem pode usar poderes são homens. Num lugar onde só existem feiticeiros, Henrietta tem que mostrar que é capaz de ser uma grande feiticeira. Em partes do livro, vemos nossa Henrietta confusa, com raiva, buscando respostas para suas perguntas e momentos de felicidade, de carinho e que percebemos que nossa girl power tem também seus altos e baixos.

Meu gênero literário preferido é romance, mas essa fantasia entrou para a lista de melhores livros do ano. Estou ansiosa para ver o desenrolar da história, uma leitura rica em magia, aventuras, mistérios, feiticeiros e magos.

Este livro veio de um clube de assinatura que faço há 5 meses e todo mês vem um livro surpresa do gênero jovem adulto, recém lançado. Turista Literário é uma malinha cheia de surpresas, é uma aventura literária sensorial. Na mala vem itens que estimulam nossos sentidos. Na malinha do mês de outubro os itens recebidos foram:

  • Pacote dos Sonhos by Fenswick:
    Um sachê composto de ervas aromáticas que ajudam no sono, com cheiro de ervas e roseiras. Um item que estimula o olfato e o tato.
  • Caramelos do Agrippa:
    Para estimular o paladar, um pacotinho de balas de caramelo que o Agrippa usa para presentear as crianças enquanto testa se elas possuem algum poder secreto.
  • Playlist:
    Item para estimular a audição, uma lista de músicas no Spotify.
  • Livro:
    Uma Sombra Ardente e Brilhante, para estimular a nossa visão.
  • Souvenir de viagem:
    Um porta treco com arte que remetem elementos da história.
  • Conteúdos extras no site para os assinantes.Uma Sombra Ardente e Brilhante é uma fantasia maravilhosa! Amei a malinha desse mês e seu conteúdo. Se você quer uma leitura rica, mágica e cheia de aventuras, não perca tempo, leia este livro!

    Beijos,

    Thaisa Napolitano

23314166_10214429527357463_110759262_o
Malinha do clube de assinatura Turista Literário e seus itens
Anúncios
Séries, Sem categoria

Série Merlin

maxresdefault

Série: As Aventuras de Merlin

Total de Temporadas: 5

 

Dias atrás, quando não tinha nada para fazer, eu liguei a netflix e resolvi assistir  às “Aventuras de Merlin”. Vi a maioria dos episódios até o início da quarta temporada e resolvi que já era hora de resenhar para vocês.

A proposta da série é contar a saga do rei Arthur pelos olhos de Merlin, o que a princípio é legal porque o foco passa a ser as “mandingas brabas” do mago, mas desaponta um pouco, porque para isso, os roteiristas precisaram “diminuir o brilho” do príncipe Arthur. E o que posso dizer? É bem estranho ver esse personagem ser tratado como um valentão mimado e sem noção, por mais que ele seja do time dos heróis.

Já Merlin/ Emrys é retratado como um jovem doce, ingênuo e meigo que sofre um bocado nas mãos do príncipe Arthur. É claro que ele solta algumas boas farpas  para seu patrão se tocar, mas acaba não tendo tanto carisma, pelo menos não para mim que conheci outros Merlins mais interessantes (e debochados) na literatura. Não é totalmente sem graça, chega a ser fofo, mas faz umas burradas catastróficas, ainda bem que temos o Gaius para por a mão na consciência dele.

Porém, por algum motivo, a série funciona. Talvez seja porque ela não dá muita trela para o triângulo amoroso entre Arthur- Guinevere- Lancelot ou porque tem bons personagens secundários, como o Gaius e o Gwaine ou porque Morgana é a vilã que a gente adora odiar ou mesmo porque Uther consegue ser muito “coisa ruim” ao mesmo tempo que é humano e ama aos seus com intensidade. A última hipótese é que eu gostei porque sou fã de fantasia (risos), mas acho que além do meu gosto pessoal, ela tem algum mérito também, apesar de ter um roteiro bem juvenil.

E você? já assistiu Merlin?

beijos da Aleska Lemos.

livro

Resenha: Corte de Espinhos e Rosas – Sarah J. Maas

23336247_10214433999349260_633278590_o

Título: Corte de Espinhos e Rosas

Autora: Sarah J. Maas

Editora: Galera Record

Ano: 2017 – 6ª Edição

Número de Páginas: 434

Corte de Espinhos e Rosas é uma fantasia envolvente, com aventuras, romance e com muitas reviravoltas. Esse foi o meu primeiro contato com a Sarah J. Maas e posso dizer que foi incrível. Estava com as expectativas altas quando comecei a ler o livro e não me decepcionei, uma trama bem desenvolvida, com personagens cativantes e fortes.

A nossa protagonista é uma jovem, a caçula da família que precisa sustentar seu lar após a inadimplência de seu pai. Falidos, Feyre é a única que caça para alimentar sua família, seu pai não faz nada para ajudar em casa e suas irmãs vivem em um mundo de conto de fadas. Em uma de suas caçadas, Feyre mata um lobo, criando uma revolta em Tamlin, um Grão-Feérico, que mora em Prythian.

Como punição pela vida que tirou, Feyre é levada por Tamlin para Prythian, uma vida em troca de outra. E em sua nova vida, Feyre descobre segredos sobre a “praga” que assombra os feéricos, que na Corte Primaveril, todos usam uma máscara presa ao rosto. Descobre também sensações novas, uma vida muito diferente da sua, com seres diferentes com qual vivia, relembrando lendas que escutou na infância e vendo em parte, se tornarem realidade.

Feyre é uma personagem muito forte, que no meio da trama perdeu sua força, oscilando bastante pela sua história de vida. Uma menina que cuidava da casa, que pensava no pão de cada dia e que de uma hora para outra, se vê cuidada, mesmo com medo, Feyre se entrega a esse novo mundo, a essa nova realidade, dando espaço para aquilo que sempre quis fazer, e que sempre foi importante para si, a pintura.

A história se passa em Prythian, um território dividido em reinos, que possui uma muralha que divide os Grão-Feéricos dos humanos. Uma divisão que foi tomada após uma guerra, onde um queria dominar o outro. A descrição das Cortes que aparecem no livro são bem detalhadas e lindas.

23336499_10214433998749245_1247594667_o

A narrativa é em primeira pessoa, Feyre nos conta tudo o que se passa ao seu redor e dentro de si. Percebemos que há muitos assuntos que a autora deixa nas entrelinhas, o preconceito é bastante visível entre os humanos e Feéricos. A relação entre pai e filho, a ausência de uma figura paterna que é um tema visto com frequência em histórias de fantasias, o relacionamento amoroso que não precisa ser um conto de fadas e que nem o príncipe precisa nos salvar em seu cavalo branco.

A escrita da autora é viciante, no início, achei bem arrastado, mas quando engata, é impossível parar de ler, ainda mais com tantas coisas que acontecem. O final é surpreendente, aquele final de tirar o fôlego! Corte de Espinhos e Rosas é uma releitura de A Bela e a Fera, mas que não se prende a história que conhecemos e ao lembrar desse detalhe, só consegui fazer referências no início do livro. Este é o primeiro livro de uma série, os três primeiros livros já foram lançados e quando comecei a escrever essa resenha, fiquei sabendo que terá um conto após o terceiro livro, que foi lançado recentemente, e terão mais três livros.

A capa do livro é aveludada e maravilhosa! A Galera Record arrasou! Se você está procurando uma fantasia rica em aventura, seres mágicos, romance e reviravoltas, Corte de Espinhos e Rosas é a escolha certa!

Thaisa Napolitano 

livro

Resenha: Não Pare! – FML Pepper

 

19576281_10213229524398139_588495756_n

Título: Não Pare!

Ano: 2015

Editora: Valentina

Autor: FML Pepper

Número de Páginas: 280

Não Pare! é o primeiro livro da trilogia de FML Pepper, que se tornou um Best-Seller da Amazon. Essa trilogia conta a história de Nina, uma jovem de 16 anos que vive viajando o mundo com a mãe. Morando pouco tempo em cada país, Nina não tem a possibilidade de ter uma adolescência normal, quando começa a fazer uma amizade, Stella, mãe de Nina resolve se mudar para outro país, alegando motivos de trabalho. Mas surge uma curiosidade, por que tantas mudanças em tão pouco tempo? Sempre que acontece algum acidente, algo fora do comum, elas se mudam, por que?

Nina, nunca conheceu o pai e sua mãe fala bem pouco ou quase nada sobre ele, a deixando sem respostas. Stella é uma boa mãe e zela pela segurança da filha, mas sempre que algum acidente com sua filha acontece, ela junta suas coisas e se muda com a filha. Depois de tantas mudanças, Stela decide que vão se estabilizar em Nova Iorque, com essa notícia, Nina, se sente feliz pois vai realizar as suas vontades de ter uma adolescência normal.

Nessa nova fase, acidentes incomuns com Nina começam a surgir, desmaios repentinos, um quase atropelamento, um andaime que parte em sua direção… Nina sempre desconfiou de sua falta de sorte e de sua pressão baixa, mas o seu subconsciente a alerta que não é isso, existem coisas além que fazem sua vida não ser normal.

19553278_10213229467596719_300162272_n

 

A escritora nos envolve com muitos mistérios que vão surgindo junto com as descobertas de Nina. E por conta disso vamos lendo sem parar. O mundo que a escritora criou é totalmente novo, bem diferente do que já li, quando os mistérios iam surgindo, fui pensando em lobisomens, vampiros, mas nada chegou perto do mundo criado pela Pepper.

A história é envolvente, fluida e instigante com momentos previsíveis que não nos faz perder o interesse. Não Pare! é aquele livro cheio de ação, ficção, com um romance proibido e com um mocinho que nos deixa confusa com suas atitudes, nos fazendo suspirar, torcer, e odiá-lo. Assim que terminei esse livro, já fui correndo ler o segundo. Recomendo a leitura, principalmente para quem curte uma boa trama juvenil.

Thaisa Napolitano

 

livro

Resenha: Quando a Noite Cai – Carina Rissi

18928246_10212979851716478_1397149445_n

Título: Quando a Noite Cai

Ano: 2017

Editora: Verus Editora

Autor: Carina Rissi

Número de Páginas: 447

Quando a Noite Cai é o mais novo livro da escritora brasileira Carina Rissi. É o primeiro livro dela que leio e quando o terminei compreendi todos os elogios que ouvi da autora que é considerada a rainha do Chick-lit.

Nossa protagonista Briana Pinheiro é uma pessoa com pouca sorte, não consegue se manter em um emprego e precisa de dinheiro para ajudar a mãe, já que a pensão da família não vai muito bem, na verdade está bem perto de fechar as portas. Além de todas essas responsabilidades, quando Briana vai para a cama à noite ela sonha com castelos, espadas, aldeias e um guerreiro irlandês. Quando é demitida pela terceira vez dentro de um mês, Bri continua com a coragem que tem para procurar um novo emprego e em busca disso sua vida acaba cruzando com a de Gael O’Connor.

Gael O’Connor é uma pessoa bem reservada, de poucas palavras e possui um olhar misterioso. Grande empresário, Gael oferece emprego para Briana em uma de suas empresas.  Com essa grande oportunidade em mãos, Briana tenta manter a sua má sorte longe do escritório para tentar se manter no emprego o mais tempo possível. Além de cuidar de sua má sorte, ela tenta não confundir seu misterioso chefe com o  guerreiro que invade seus sonhos, pois são muito parecidos, de forma a parecer que o homem dos seus sonhos saiu do mundo imaginário para a vida real.

Porque meu coração estúpido havia misturado tudo. Apesar de todas as minhas tentativas de manter as histórias separadas, ele não conseguiu discernir o que era real da fantasia. 

Briana é uma personagem muito rica, apesar de não ter a sorte ao seu lado, ela não se deixa abater pelos infortúnios do destino. Alegre, cheia de humor e corajosa, corre atrás de emprego e maneiras que possam ajudar a mãe e a irmã, que não trabalha para que possa terminar a sua faculdade. Sempre colocando a família em primeiro lugar, Briana acaba se esquecendo de suas vontades e de seus sonhos.

Porque, quando se ama, por mais impossível que possa parecer, a esperança persiste e você luta até o último suspiro.

Com muita magia, paixão e mistérios, Quando a Noite Cai nos envolve. Demorei um pouco para engatar a leitura pois estava com os personagens do último livro que li na cabeça, mas em nenhum momento a leitura ficou desinteressante, pelo contrário, ia ficando cada vez mais gostosa, interessante a medida que os mistérios iam sendo apresentados, dando aquele frio na barriga nos fazendo ler e engolir o livro rapidamente, num piscar de olhos.

A magia do livro, da escrita da autora me envolveram de tal forma que eu não conseguia mais parar de ler, ansiosa para saber os desfechos, que a Carina conseguiu amarrar muito bem sem deixar dúvida alguma. Super envolvida na leitura, me peguei diversas vezes pesquisando sobre os lugares da Irlanda que são citados na história e fiquei maravilhada ao saber que eles existem, me deixando muito mais apaixonada pela história de Briana e Gael.

 

É natural do ser humano lutar. E, sempre que nos sentimos ameaçados, acuados, amedrontados ou feridos, nós atacamos porque é o jeito mais fácil de mascarar a dor. Perdoar exige muito mais: mais bravura, mais coragem, mais força.

Mesmo ouvindo muito bem sobre o livro e autora, tentei não elevar minhas expectativas,  e acabei encontrando com uma história muito diferente do que eu já li, esse foi o ponto alto da leitura para mim. Com toda a certeza essa história vai aquecer meu coração toda vez que vir o livro na prateleira e com mais certeza ainda, essa é uma história de amor puro que é para ser lida e relida. Recomendo a leitura e estou muito ansiosa para ler os próximos livros da autora.

Thaisa Napolitano

Filme

Filme: Drácula a história nunca contada.

Nesse filme Vlad Tebes é um príncipe traumatizado por ter servido ao império turco desde os 7 anos de idade. Ele aprendeu com os muçulmanos a ser irrascível, cruel e invencível em batalha, mas após ter terminado seu tempo de “serviço” ele volta para o lar e deseja só a paz. O problema acontece quando 10 anos depois, o rei turco volta e exige 1000 crianças do reino de Vlad para servir ao exército otomano durante a invasão da Europa. O  mais polêmico dessa exigência,porém, é que o herdeiro de Vlad deveria ser incluído no “pacote”. É nesse momento que mais uma vez o príncipe das trevas abdica de sua humanidade, porém agora é para obter a força de 100 homens.

 

Luke Evans convence muito como pai e marido apaixonado. Está longe de ser o cara cruel dos tradicionais filmes “draculinos” (risos), apesar de ter empalado um monte de inimigos, cortado muitas cabeças na frente do próprio filho (para salvá-lo, claro) e não apresentar remorso algum depois de matar. Contraditório né? Saí com essa sensação do cinema, mas quem não é contraditório? Apesar de ter duas facetas muito díspares ele parecia saber conciliá-las, quer dizer, não é como se fossem duas personalidades diferentes, ele era um só. Acho que estava convencido da historinha que ele mesmo se contava para se impedir de ficar maluco.

 

Teve gente que riu no cinema porque teve muita “mentirada”, tipo quando o Vlad enfrentou sozinho uns 100 mil soldados (tá, é bizarro até para um vampirão), mas tipo: cinema não é lugar da mentira? Quem cresceu vendo carro subindo escada e “missão impossível”(ou mesmo 300 de Esparta que são 300 contra milhares e sobrevivem muito mais que o esperado) não devia se surpreender com esse tipo de coisa [risos], é só sentar e se divertir com a pancadaria. Aliás foi uma boa pancadaria! Não foi como a sequência de 300 (que chegou a ser nojenta de tanta realidade nos ferimentos) com lanças atravessadas na cabeça de soldados, mas discordo da filha do Zé do caixão quando classificou o filme como “história para pré-adolescente”, eu com meus 12 anos quase não dormi com medo do “homem da máscara de ferro” (tá isso é ridículo, mas aconteceu) imagina com dezenas de decapitações e empalamentos?

 

Bom, por último, esse filme não investiu muito na parceira de Vlad, para você ver não tenho nem certeza de qual era o nome dela. Ela era um bibelô sim, linda loura e voltada para a família, mas não foi representada como mulher fútil e sua opinião era respeitada pelo marido. Em nenhum momento ela foi castigada por falar alto com o príncipe na frente dos turcos, no entanto não dá para esquecer que ela é uma mulher da era medieval e estava em segundo plano.

 

Espero que tenha continuação, se não fico frustrada!

Beijos, Aleska Lemos.